O Brasil somou 13,6 milhões de pessoas na extrema pobreza em 2019. É mais do que a população da Bélgica, da Grécia ou de... 13,6 milhões de brasileiros viviam na extrema pobreza em 2019

(foto Beno Suckeveris)

O Brasil somou 13,6 milhões de pessoas na extrema pobreza em 2019. É mais do que a população da Bélgica, da Grécia ou de Portugal, por exemplo.

São 100 mil a mais do que em 2018, o que é considerado estatisticamente como estabilidade, e corresponde a 6,5% de toda a população do país no ano passado.

Se não fosse o trabalho informal, o contingente seria maior ainda.

É bom ressaltar que, no ano passado, não havia a pandemia do coronavírus que pode ter agravado a situação em 2020.

Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foram divulgados nesta quinta-feira (12).

Em 2014, com taxa de desemprego menor do que em 2019, aproximadamente, 9,2 milhões de pessoas viviam na extrema pobreza.

Em 2019, cerca de 51,7 milhões de brasileiros viviam abaixo da linha da pobreza, aproximadamente 800 mil a menos do que em 2018, uma queda de 25,3% para 24,7% da população total.

É como se 1 a cada 4 brasileiros tenha vivido com menos de R$ 436 mensais no ano passado.

O IBGE utiliza os critérios do Banco Mundial para definir as faixas de renda.

Uma pessoa em extrema pobreza é quem vivia com menos de US$ 1,90 por dia ou o equivalente a R$ 151 por mês em 2019.

Já o pobre é aquele que vivia com menos de US$ 5,50 por dia ou R$ 436 por mês no ano passado.

Entre os 43 países do banco de dados do Banco Mundial, o Brasil está em 21% na linha de pobreza, atrás de países como o Paraguai, Cazaquistão e Azerbaijão.

O perfil da maioria das pessoas na extrema pobreza é negra ou parda, mulher, sem instrução ou com ensino fundamental incompleto; e desempregada.

O Nordeste concentra 56,8% das pessoas em extrema pobreza, sendo que a pior situação é a do Maranhão, onde 1 em cada 5 habitantes estava nesta situação em 2019.

A região também tem 47,1% dos pobres.

Quase metade da população maranhense é pobre.

Em outros 12 estados, a proporção de pessoas pobres é acima dos 40% da população total.

O Sudeste tinha o segundo maior contingente de pessoas extremamente pobres (15,2%) e cerca de 27% da população pobre.

Em 2019, 13,8% dos brasileiros na extrema pobreza estavam ocupados no mercado de trabalho.

Segundo o coordenador da pesquisa, João Hallack Neto, como a informalidade bateu recorde no ano passado, é possível que ela esteja ligada à redução do contingente de pobres.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *