O Reino Unido e o Líbano recuaram e decretaram lockdown para tentar conter o aumento de casos de Covid-19. De acordo com os dados...

O Reino Unido e o Líbano recuaram e decretaram lockdown para tentar conter o aumento de casos de Covid-19.

De acordo com os dados divulgados pela Universidade Johns Hopkins (EUA) às 10h15 desta terça-feira (5), o Reino Unido ultrapassou a França e é o quinto país com mais casos (2.721.622) no mundo e está entre os 10 primeiros em número de mortes (75.747).

O terceiro lockdown entrou em vigor hoje (5) e a previsão que dure até março.

Nesta segunda-feira (4), o país registrou recorde de infectados (58.923) em 24h.

Foi o 7º seguido com mais de 50 mil casos no Reino Unido.

Cerca de 27 mil pessoas estão internadas na Inglaterra, 40% a mais do que o registrado no pico da pandemia em abril.

A terceira onda foi acelerada pela mutação detectada pela primeira vez no país e que é mais contagiosa com o coronavírus original e não foi controlada nem com a campanha nacional de vacinação.

Pelas novas regras de quarentena, a população deve permanecer em casa e só pode sair de casa para comprar alimentos, necessidade médica, prática de exercício físico e trabalho presencial, quando este for essencial.

As escolas devem ficar fechadas. Aulas somente por meio remoto.

As creches podem funcionar.

restaurantes, bares e cafés não poderão servir em seus salões. Apenas por sistema de entrega ou retirada de alimentos e bebidas alcoólicas.

Locais de prática esportiva ao ar livre (quadra de tênis, campos de golfe etc) ficarão fechados.

Esportes coletivos não poderão ser praticados por amadores, somente por profissionais, como o campeonato inglês de futebol (Premier League).

O Líbano também decretou lockdown por causa do avanço dos casos e do sistema de saúde à beira do colapso, reflexos do afrouxamento das normas de quarentena há menos de um mês.

Na ocasião, comércio, bares e discotecas foram reabertos.

O novo confinamento começará na quinta-feira (7) e deverá vigorar até o final de janeiro.

Entre as medidas decretas pelo governo libanês, a população vai precisar obedecer a um toque de recolher entre às 18h e 5h e o aeroporto internacional da capital Beirute vai funcionar com a capacidade limitada.

O primeiro-ministro interino, Hassan Diab, falou da necessidade de “medidas excepcionais e que não há mais leitos disponíveis em algumas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs)”.

Segundo a Universidade Johns Hopkins (EUA), desde o início da pandemia o Líbano registrou 1.512 mortes e 192.139 casos.

A campanha de vacinação está prevista para começar em fevereiro, quando chegar o primeiro carregamento de 60 mil doses.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *