Na cidade de São Paulo, 1,3 milhão de pessoas já foram contaminadas pelo coronavírus até o dia 6 de agosto. O número faz parte... A chance de quem trabalha fora contrair Covid-19 é o triplo de quem fica em casa

(foto Beno Suckeveris)

Na cidade de São Paulo, 1,3 milhão de pessoas já foram contaminadas pelo coronavírus até o dia 6 de agosto.

O número faz parte da nova etapa do inquérito sorológico realizado pela prefeitura da capital paulista, que também concluiu que quem trabalha fora de casa tem o triplo de chance de ser infectado pela doença do que quem está em casa.

A taxa para quem trabalha em casa é de 6,2%. Já entre os desempregados, sobe para 12,7% e alcança 18,5% de risco para quem trabalha fora de casa.

“O que isso revela é que, provavelmente, quem trabalha fora se expõe e quem é desempregado sai em busca de trabalho”, explicou a secretária municipal adjunta de Saúde, Edjane Torreão. O titular da pasta, Édson Aparecido está com suspeita de Covid-19 e aguarda o resultado do exame.

Na pesquisa anterior, a prevalência da doença era de 11,1% e caiu para 10,9%. Ou seja, estaria estável: “Apesar de dois meses de reabertura e flexibilização de atividade econômica, a gente mantém os mesmos índices de prevalência na cidade de São Paulo”, comentou o prefeito Bruno Covas (PSDB-SP).

Ele está preocupado com o contágio do vírus entre pessoas entre 18 e 34 anos: “A maior prevalência é nesta faixa etária, queria ressaltar a importância da conscientização dos nossos jovens. Volta e meia a gente ainda identifica pancadões, festas irregulares. Aqui tem também a principal faixa etária que tem que sair pra trabalhar, mas tem a responsabilidade dos jovens para com nossos idosos”.

A pesquisa mostra ainda que a maior prevalência está pretos e pardos e pessoas com baixa escolaridade.

O índice de pessoas assintomática continua na faixa de 40%.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.