A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu hoje (26) contra a decisão da Justiça, de obrigar o presidente Jair Bolsonaro a usar máscara em eventos... AGU recorre contra a decisão de obrigar Bolsonaro a usar máscara

A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu hoje (26) contra a decisão da Justiça, de obrigar o presidente Jair Bolsonaro a usar máscara em eventos públicos do Distrito Federal (DF) sob pena de multa diária de R$ 2 mil.

A AGU alegou que Bolsonaro já está sujeito à regra do governo do DF, que obriga o uso de máscara por causa do coronavírus desde abril, sendo “absolutamente dispensável e desnecessária” que o presidente use este tipo de proteção por ordem judicial. No recurso, também é pedido que Bolsonaro seja tratado como um cidadão comum sem uma sanção adicional além da multa pedida pelo governo do DF.

A decisão de obrigar que o presidente use máscara é do juiz Renato Coelho Borelli, da 9ª Vara Federal Cível de Brasília. Ele aceitou um pedido de um advogado diante das participações públicas do presidente. Ele dispensou a máscara no contato com correligionários, expondo-os a um potencial contágio de coronavírus.

Para funcionários e colaboradores que trabalham no Palácio do Planalto, o juiz estipulou uma multa diária de R$ 22 mil para quem não usar a máscara.

O presidente Jair Bolsonaro participou hoje da inauguração de mais uma etapa do projeto de transposição do Rio São Francisco. Ele acionou a comporta responsável por levar as águas do Eixo Norte para o Ceará. Mais uma vez, ele só usou a máscara numa parte da solenidade.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.