A Argentina se aproxima dos 800 mil casos de coronavírus. Segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins (EUA) divulgado às 13h desta segunda-feira (25),... Argentina se aproxima de 800 mil casos de Covid-19: Espanha, Itália e França decretam novas regras para tentar conter avanço da doença

Buenos Aires (foto Diana Suckeveris)

A Argentina se aproxima dos 800 mil casos de coronavírus.

Segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins (EUA) divulgado às 13h desta segunda-feira (25), a Argentina já é o 7º país do mundo com mais casos (798.486) e é o terceiro da América do Sul em número de mortes (21.018). Neste item só fica atrás do Brasil e da Colômbia.

A França é outro país que vem enfrentando um avanço de casos de Covid-19.

De acordo com a Johns Hopkins, são 658.800 infectados e 32.171 mortes.

Na semana passada, o número de casos (87.161) foi recorde.

Por isso, a partir desta terça-feira (6), novas regras de quarentena entrarão em vigor na capital francesa e vão durar por duas semanas.

O anúncio foi feito pelo chefe da Polícia de Paris, Didier Lallement, que concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira (5).


Os restaurantes só poderão funcionar sob protocolos rígidos de saúde.

Os bares deverão ficar fechados e está proibido o consumo de bebidas alcoólicas nas ruas.

Os estádios e as piscinas públicas também ficaram vedados ao público em geral, com exceção dos menores de idade.

Os eventos públicos não poderão receber mais de mil pessoas.

Protestos, com exceção de manifestações estudantis noturnas, estão liberados desde que obedeçam as regras da quarentena como o uso obrigatório de máscara.

Aglomerações com mais de 10 pessoas nas ruas, filas de mercados ou restaurantes estão proibidas.

A prefeitura está incentivando a população a só sair de casa de maneira individual e reforçou que os moradores trabalhem em casa (hojme office).

Na Espanha, a capital Madrid e outras 9 cidades da região metropolitana já estão sob fase mais rígida de confinamento.

Ela entrou em vigor no sábado (3) e hoje (5) foi o primeiro dia útil da quarentena que, deve ser cumprida por quase 5 milhões de habitantes.

O país registrou 784.932 casos (8º do mundo) e está perto de alcançar a França em número de mortes (32.086).

A região da Campânia, na vizinha Itália, onde vivem cerca de 5,8 milhões de habitantes, também decretou medidas mais rigorosas para conter o avanço da pandemia.

Elas valerão até o dia 20 de outubro.

A região do sul do país, cuja capital é Nápoles, decidiu restringir o funcionamento de bares, restaurantes, sorveterias e confeitarias, e obrigar o uso de máscara em qualquer espaço público.

Neste domingo (4), o jogo do campeonato italiano de futebol, entre Juventus e Napoli, que aconteceria em Turim, foi suspenso.

A delegação do time napolitano foi proibida de viajar pelas autoridades da Campânia, depois que foram registrados três casos de coronavírus na delegação.

A Itália foi o segundo epicentro mundial da pandemia.

Nos últimos dois meses, voltou a enfrentar uma segunda onda.

Segundo o levantamento da Johns Hopkins, o país teve 325.329 casos e 35.986 mortes por Covid-19.

A Campânia, que teve menos vítimas do que o norte da Itália na primeira onda, é hoje a região com maior número de infectados.

Em Bruxelas, na Bélgica, a presidente da Comissão Europeia, a alemã Ursula von der Leyen, testou negativo para coronavírus.

O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (5).

Na semana passada, ela participou de uma reunião com um funcionário que contraiu a doença neste domingo (4).

Por precaução, Ursula vai ficar em isolamento por 24h e já cancelou uma viagem nesta semana à Grécia, onde receberia um prêmio.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.