O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a imprensa. Foi nesta segunda-feira (24), em Brasília, no evento Brasil vencendo a Covid-19, onde não fez... Bolsonaro chama jornalista de “bundão” e ignora as quase 115 mil mortes por Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a imprensa. Foi nesta segunda-feira (24), em Brasília, no evento Brasil vencendo a Covid-19, onde não fez nenhuma referência às vítimas da pandemia.

O país registrou 114.913 mortes e 3.610.028 casos de Covid-19.

Os números do consórcio de veículos de mídia foram divulgados às 13h de hoje (24).

O presidente, que na véspera havia ameaçado um repórter por ele ter perguntado sobre depósitos do casal Fabrício Queiroz e Márcia Aguiar nas contas da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, afirmou hoje (24) que, se um “bundão da imprensa contrair o coronavírus, a chance de sobreviver é bem menor”.

Sem dar maiores detalhes, ele disse que, em 1978, quando estava na ativa do Exército, salvou um colega: “Era um jovem aspirante do Exército Brasileiro. Tinha 23 anos, sempre fui atleta das Forças Armadas. Aquela história de atleta, né, que o pessoal da imprensa vai para o deboche, mas quando pega Covid-19 num bundão de vocês, a chance de sobreviver é bem menor”.

Ainda fez mais um crítica à imprensa “Só fazer fazer maldade, usar a caneta com maldade, em grande parte. Tem exceções, né, como aqui o (jornalista) Alexandre Garcia. A chance de sobreviver é bem menor do que a minha”

O evento realizado no Palácio do Planalto teve a participação de médicos que defendem o uso da hidroxicloroquina, medicamento que não tem eficácia comprovada no tratamento de pacientes com coronavírus.

Apenas uma médica se lembrou das vítimas da doença. Ela pediu um minuto de silêncio em memória delas.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.