O Brasil passou de 5 milhões e 900 mil casos de coronavírus. De acordo com o levantamento do consórcio de veículos de imprensa divulgado... Brasil já tem mais de 5,9 mi de casos de Covid-19: médias voltam ao patamar de maio

O Brasil passou de 5 milhões e 900 mil casos de coronavírus.

De acordo com o levantamento do consórcio de veículos de imprensa divulgado às 8h desta quarta-feira (18), 166.743 pessoas morreram de Covid-19 e outras 5.909.002 foram contaminadas pelo vírus.

Nas últimas 24h foram registradas 676 mortes e 32.262 casos.

A média móvel de óbitos (557) dos últimos 7 dias significa 45% a mais do que a de 14 dias atrás.

É a média mais alta desde 12 de outubro e é a maior desde maio.

A média móvel de casos (29.674) dos últimos 7 dias subiu assustadores 71% na comparação com a variação registrada há 14 dias.

Também é a mais alta desde maio.

Até a noite desta terça-feira (17), a curva de mortes avançava em 14 estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Amapá, Roraima, Rondônia, Tocantins e o Rio Grande do Norte.

A curva era estável no Distrito Federal e em 8 estados: Paraíba, Pernambuco, Piauí, Pará, Acre, Mato Grosso do Sul, Acre e Maranhão.

Os números estavam em queda em apenas quatro estados: Alagoas, Amazonas, Sergipe e Ceará.

Nesta quinta-feira (19), o primeiro lote de 120 mil doses da Coronavac, a vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan deve chegar a São Paulo.

A carga ficará armazenada em local sigiloso à espera de liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser aplicada na população.

Ontem (17), um estudo publicado na prestigiada revista científica The Lancet mostrou que a Coronavac apresentou segurança e resposta imune satisfatória nas duas primeiras fases de testes com humanos.

A pesquisa foi feita com 743 pacientes saudáveis na China.

Eles tinham entre 18 e 59 anos e foram divididos em três grupos.

Um recebeu duas doses de 3 microgramas da vacina; em outro, a dose foi mais alta (6 microgramas); e o terceiro recebeu placebo, uma substância inócua.

Segundo a Sinovac, as respostas de anticorpos foram induzidas em até 28 dias após a primeira aplicação.

Não foram registrados efeitos adversos graves. Apenas dor no local da injeção.

O estudo não avaliou a eficácia na prevenção do coronavírus.

A Coronavac está na terceira e última fase de testes.

No Brasil, a pesquisa é coordenada pelo Instituto Butantan e é feita em cerca de 10 mil profissionais da saúde, com possibilidade de ser estendida para mais 3 mil voluntários, incluindo crianças e idosos.

A Coronavac pode ser armazenada em uma geladeira comum e por até três anos, mas para ter eficácia precisa ser aplicada em duas doses.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Notice: Trying to access array offset on value of type null in /home/wp_vihbaf/democracia.tv/wp-content/themes/goliath/theme/theme-functions.php on line 1103

Notice: Trying to access array offset on value of type null in /home/wp_vihbaf/democracia.tv/wp-content/themes/goliath/theme/theme-functions.php on line 1103