O Brasil passou a trágica marca de 166 mil mortes por Covid-19. Segundo o levantamento do consórcio de veículos de mídia divulgado às 8h... Brasil passa de 166 mil mortes por Covid-19: média de casos é a maior desde 3/6

São Paulo (foto Beno Suckeveris)

O Brasil passou a trágica marca de 166 mil mortes por Covid-19.

Segundo o levantamento do consórcio de veículos de mídia divulgado às 8h desta terça-feira (17), o país perdeu 166.078 vidas e chegou a 5.876.791 pessoas contaminadas pelo coronavírus.

Nas últimas 24h foram registrados 256 óbitos e 16.150 casos.

A média móvel de mortes (490) dos últimos 7 dias é 34% acima da variação de 2 semanas atrás.

A média móvel de casos (28.711) dos últimos 7 dias subiu 59% na comparação com a de 14 dias anteriores.

É a maior média desde o dia 3 de junho.

Até a noite desta segunda-feira (16), a curva de mortes estava em alta na maior parte do país: Distrito Federal e os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Amapá, Acre, Rondônia, Roraima, Tocantins, Rio Grande do Norte e Pernambuco.

A curva estava estável em 6 estados: Rio de Janeiro, Paraíba, Bahia, Ceará, Pará e Maranhão.

Os números estavam em queda em somente 4 estados: Sergipe, Piauí, Alagoas e Amazonas.

Nesta terça-feira (17), o governo paulista prorrogou a quarentena no estado até o dia 16 de dezembro.

O decreto neste sentido foi publicado no Diário Oficial e confirma o recuo das autoridades diante do aumento das internações de pacientes com Covid-19 na rede privada de saúde.

A governadora interina de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido) testou positivo para coronavírus e está em isolamento.

A informação foi dada hoje (17) pelo governo do estado.

Daniela fez o exame na tarde de ontem (16) e o resultado saiu nesta manhã.

Ela apresentou sintomas leves e vai despachar por meio remoto.

A governadora suspendeu a viagem para o Vale do Itajaí, que estava marcada para esta terça (17).

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *