Mais de 6 milhões e 200 mil pessoas foram infectadas pela Covid-19 no Brasil. A doença também matou mais de 171 mil no país.... Brasil passa de 171 mil mortes e 6,2 milhões de casos de Covid-19

Mais de 6 milhões e 200 mil pessoas foram infectadas pela Covid-19 no Brasil.

A doença também matou mais de 171 mil no país.

De acordo com levantamento do consórcio de veículos de imprensa divulgado às 8h desta sexta-feira (27), o coronavírus foi a causa da morte de 171.497 pessoas e da contaminação de outras 6.205.570.

Entre os novos casos está o do sambista Neguinho da Beija-Flor, que está internado em um hospital do Rio de Janeiro.

Nas últimas 24h foram registradas 698 mortes e 37.672 casos de Covid-19.

A média móvel de óbitos (479) dos últimos 7 dias representa 19% a mais do que a variação de 14 dias atrás.

A média móvel de casos (31.640) dos últimos 7 dias é a maior desde 16 de setembro e é 24% acima da média das 2 semanas anteriores.

Até a noite desta quinta-feira (26) a curva de mortes estava em alta em 10 estados: Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Acre, Amazonas, Ceará e SErgipe.

A situação era de estabilidade em outros 7 estados: Pará, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Bahia, Maranhão, Pernambuco e Paraíba.

Os números estavam em queda no Distrito Federal e mais 9 estados: Piauí, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Roraima, Amapá, Tocantins, Alagoas e Rio Grande do Norte.

Em uma transmissão ao vivo, em uma rede social, o presidente Jair Bolsonaro negou ter chamado da Covid-19 de “gripezinha” e negou a importância do uso da máscara na prevenção da doença.

As declarações foram dadas nesta quinta-feira (26).

O presidente estava ao lado do ministro da Educação, Milton Ribeiro (à esquerda) e do secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim.

Bolsonaro ignorou ter usado “gripezinha” em eventos públicos, em março, e desafiou a mídia para provar o contrário.

“Falei lá atrás que, no meu caso, pelo meu passado de atleta — eu não generalizei — se pegasse o Covid, não sentiria quase nada. Foi o que eu falei. Então, o pessoal da mídia, a grande mídia, falando que eu chamei de ‘gripezinha’ a questão do Covid. Não existe um vídeo ou um áudio meu falando dessa forma. E eu falei pelo meu estado atlético, minha vida pregressa, tá? Que eu sempre cuidei do meu corpo. Sempre gostei de praticar esporte”.

O presidente, que se recusa sistematicamente a usar máscara, anunciou que um “estudo sério” será divulgado sobre a eficácia do acessório na prevenção da pandemia.

“A questão da máscara, não vou falar muito porque ainda vai ter um estudo sério falando da efetividade da máscara — se ela protege 100%, 80%, 90%, 10%, 4% ou 1%. Vai chegar esse estudo. Acho que falta apenas o último tabu a cair”

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.