O Brasil se aproxima de 180 mil mortes por Covid-19. Segundo o consórcio de veículos de imprensa, até às 8h desta sexta-feira (11), a... Brasil se aproxima das 180 mil mortes por Covid-19: 21 estados e o DF seguem com números em alta

O Brasil se aproxima de 180 mil mortes por Covid-19.

Segundo o consórcio de veículos de imprensa, até às 8h desta sexta-feira (11), a pandemia causou a morte de 179.801 pessoas e contaminou outras 6.783.543.

Nas últimas 24h foram mais 769 mortes e 53.425 casos de coronavírus.

A média móvel de óbitos (642) dos últimos 7 dias é 35% acima da variação de 2 semanas atrás.

A média móvel de casos (42.290) dos últimos 7 dias é 34% superior a de 14 dias atrás.

Até a noite desta quinta-feira (10), pelo segundo dia seguido os números de mortes estavam em alta no Distrito Federal e em 21 estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Ceará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Pernambuco, Piauí, Paraíba, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Acre, Goiás, Sergipe e Rio Grande do Norte.

Apenas 3 estados (Amapá, Alagoas e Pará) estavam com os números estáveis.

Somente 2 estados – Amazonas e Maranhão, a pandemia estava em queda.

O ministério da Saúde admitiu nesta quinta-feira (10) que não tem previsão sobre um plano nacional de vacinação e nem sobre a distribuição das vacinas.

A informação foi dada pelo secretário-executivo do ministério, Élcio Franco, em audiência pública no Congresso.

No Rio de Janeiro, novas medidas de quarentena entraram em vigor nesta sexta-feira (11).

Entre elas, a proibição de estacionamento na orla e das áreas de lazer nos finais de semana e feriados e o reescalonamento dos horários de funcionamento do comércio e indústria, entre outros setores.

As praias vão continuar abertas, mas piscinas e saunas de condomínios deverão ficar fechadas.

A partir de segunda-feira (14), a população do Mato Grosso do Sul deverá obedecer o toque de recolher entre às 22h e às 5h.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *