O Brasil passou a triste marca de 177 mil mortes por Covid-19. Segundo o levantamento do consórcio de veículos de imprensa divulgado às 13h... Brasil supera as 177 mil mortes por Covid-19: sistema público de saúde do Rio está no limite da capacidade

O Brasil passou a triste marca de 177 mil mortes por Covid-19.

Segundo o levantamento do consórcio de veículos de imprensa divulgado às 13h desta segunda-feira (7), a pandemia matou 177.006 pessoas e infectou outras 6.605.245.

Na cidade do Rio de Janeiro, a rede pública de saúde está à beira do colapso.

As taxas de ocupação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Sistema Único de Saúde (SUS) é de 92%, e de ocupação das enfermarias, 88%.

O governo de São Paulo apresentou o plano de vacinação previsto para começar no dia 25 de janeiro, aniversário da capital paulista.

Ele depende da aprovação da Coronavac, a vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e pelo Instituto Butantan, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“O público-alvo da primeira fase da vacinação são as pessoas com 60 anos ou mais que correspondem a 7,5 milhões de pessoas, trabalhadores de saúde, que são os nossos grandes agentes na linha de frente salvando vidas, quilombolas, indígenas, que são 1,5 milhões de pessoas e a prioridade são os trabalhadores de saúde, num total de 9 milhões de pessoas”, disse a coordenadora do controle de doenças da secretaria da Saúde, Regiane de Paula, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (7).

Hoje, o estado tem 5,2 mil postos de vacinação em 645 municípios.

A meta é ampliar para até 10 mil postos, muitos deles instalados em escolas, quartéis da Polícia Militar, estações de trem, farmácias, terminais de ônibus e em sistemas drive-thru.

O governo paulista estima um gasto inicial de R$ 100 milhões na logística da campanha.

O plano prevê 18 milhões de doses da Coronavac para imunização de 9 milhões de pessoas, 25 centrais estratégicas de armazenamento de distribuição regional, a participação de 54 mil profissionais da saúde; o uso de 27 milhões de seringas e agulhas; 5,2 mil câmaras de refrigeração e 30 caminhões refrigerados que vão operar diariamente para a realização de 2,1 mil viagens durante a campanha.

A segurança dos postos de vacinação e para a escolta das vacinas ficará a cargo de 25 mil policiais.

Quatro milhões de doses da Coronavac, que começaram a ser envasadas hoje (7) pelo Instituto Butantan, serão vendidas para outros estados e municípios, entre eles, as cidades do Rio de Janeiro e de Curitiba.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *