Você já teve a experiência de ver a postagem de um conhecido e imaginar de onde saiu aquele lado B recheado de rancores, ressentimentos... CHECKLIST: como não parecer surtado nas redes sociais

Você já teve a experiência de ver a postagem de um conhecido e imaginar de onde saiu aquele lado B recheado de rancores, ressentimentos e vontade de se vingar da humanidade? Todos nós temos um lado B que, até pouco tempo atrás, era praxe dividir só com os que nos amam apesar dele. Analise com sinceridade quantas pessoas podem ter visto as suas postagens ou respostas com a mesma sensação de “onde estava esse monstro”?

Há três circunstâncias da comunicação via redes sociais que nos fazem confundir a esfera pública com a privada:

1. Não temos de olhar nos olhos da pessoa a quem nos dirigimos, o que diminui nossos freios sociais. O contato humano e o olhar são muito poderosos.

2. Muita gente tem a ilusão de ser anônima nas redes sociais, sente um alívio em poder despejar seus demônios no mundo sob o manto do anonimato, que é uma ilusão.

3. Criamos intimidade com nossos gadgets, fazendo com que postar algo via celular ou um computador de uso diário, por exemplo, se confunda com o diálogo com pessoas próximas.

Não há dois mundos, um real e outro virtual. São as mesmas pessoas, com liberdade para fazer e dizer tudo o que quiserem, mas sem fugir das consequências.

Nos debates sobre liberdade de expressão na internet, há uma confusão central entre liberdade e fuga das consequências. Nada é proibido, aliás, nem matar é proibido em nenhuma lei. No entanto, há consequências de toda sorte para todos os atos da vida adulta. As pessoas são livres para expor a porção mais podre e agressiva de suas almas na internet, mas têm de saber que serão vistas pelos demais dessa forma, tanto online quanto offline.

A grande questão é que todos temos esses sentimentos ruins dentro de nós: raiva, ódio, inveja, ressentimento, vingança, preconceito. No ambiente das redes sociais, muita gente trata de fingir que se pode eliminar esse tipo de sentimento. Não se pode. Sentir é um direito e reconhecer os sentimentos ruins é fundamental para não agir de acordo com o impulso deles.

Não há um ser humano que, nessa década de hiperconexão digital, não tenha pelo menos uma vez enfiado o pé na jaca e respondido aos outros de forma a se arrepender. Se é impossível agir racionalmente o tempo todo, já acumulamos conhecimento suficiente para elaborar técnicas que evitem essas explosões.

Comunicação é uma ciência e Media Literacy é parte dela, a capacidade de fazer 5 coisas com informação: ACESSAR, ANALISAR, AVALIAR, CRIAR e AGIR, usando todas as formas de comunicação, online e offline, seja escrita, imagem, áudio ou vídeo. Isso depende de entender como as diversas mídias funcionam por dentro e o papel que exercem na sociedade.

O que isso tem a ver com não soltar os demônios nas redes sociais? Tudo. É a partir de conceitos de Media Literacy e técnicas de comunicação que eu criei esse CHECKLIST para você evitar parecer surtado nas mídias sociais, mesmo que não tenha nenhuma especialização na área de comunicação.

CHECKLIST:

1. COMPREENDA onde você está

Esqueça essa conversa toda de tecnologia e mídias sociais, faça relações com a vida cotidiana para ter uma ideia do que você falaria em cada ambiente. Há 3 esferas de interação: CÍRCULO ÍNTIMO, CÍRCULO PRÓXIMO, PRAÇA PÚBLICA.

O CÍRCULO ÍNTIMO é a relação com as pessoas mais próximas, como grupos de whatsapp com amigos íntimos ou familiares próximos e trocas diretas de mensagens com pessoas que você conhece.

O CÍRCULO PRÓXIMO é a relação com pessoas com quem você tem algum ponto em comum mas não conhece o suficiente para saber como agem com relação a você, como grupos grandes de whatsapp e telegram e grupos fechados no facebook e instagram.

PRAÇA PÚBLICA é qualquer postagem aberta em qualquer rede social ou troca de mensagens com pessoas que você não conhece na vida real. Lembre que tudo o que você escreve nessas circunstâncias pode se tornar público cedo ou tarde, inclusive para o seu chefe e a sua família, não há como controlar.

2. RESPIRE antes de postar

Nunca poste de sangue quente, nem em respostas pessoais. Lembre que a linguagem escrita pode ser lida de várias maneiras e tendemos a cometer erros ou usar mal as palavras quando estamos de cabeça quente.

Se a pessoa for próxima, a gente sempre imagina como ela está FALANDO aquilo que mandou por escrito. Fazemos isso colocando nossas próprias expectativas sobre ela, inclusive nossos ressentimentos. Não necessariamente a pessoa disse o que lemos num momento de raiva.

3. PENSE em QUEM pode ler aquilo

Se for postar algo aberto em qualquer rede social, mesmo uma resposta ou comentário, faça uma imagem mental de algumas pessoas que podem vir a ler esse conteúdo: seu chefe, aquele contato para quem você apresentou um projeto, seus filhos, a pessoa por quem você tem interesse amoroso, o contato profissional que você espera há um tempão.

No caso de grupos fechados ou pessoas que você não conhece, sempre poste pensando nas consequências de alguém tornar aquilo público ou repassar a outro grupo.

Nos grupos familiares ou comunicações individuais com conhecidos, é mais difícil que o conteúdo se torne público, mas não impossível. Tente não escrever nada de que se arrependa depois porque você pode voltar atrás, mas a outra pessoa sempre terá aquele texto para olhar.

Madeleine Lacsko
Últimos posts por Madeleine Lacsko (exibir todos)

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.