Com atraso de seis dias e sob pressão do Congresso, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou na noite deste domingo (27) o plano... Com 6 dias de atraso, Trump assina pacote de US$ 900 bi para estimular a economia dos EUA

Com atraso de seis dias e sob pressão do Congresso, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou na noite deste domingo (27) o plano de recuperação da economia do país

Entre outros pontos, o pacote de US$ 900 bilhões vai evitar a paralisação das atividades do governo que, sem o dinheiro, começaria amanhã (29).

Na Flórida, onde passou o Natal, Trump não explicou o motivo para a demora para assinar o projeto.

“Estou assinando este projeto de lei para restaurar o seguro-desemprego, interromper os despejos, fornecer assistência de aluguel, adicionar dinheiro para os programas de empréstimos para empresas, devolver nossos funcionários do setor aéreo a seus empregos, adicionar substancialmente mais dinheiro para a distribuição de vacinas, e muito mais”.

O pacote havia sido aprovado pelo Congresso há uma semana e estenderia programas federais que venceram no último sábado (26) e outros que expirariam nos próximos dias.

No entanto, Trump se recusou a assinar o projeto por considerá-lo uma “vergonha”, pegando de surpresa republicanos e democratas, que há meses negociavam o pacote.

No comunicado de ontem (27), ele criticou a pressão para aumentar o auxílio aos cidadãos de US$ 600 para US$ 2.000 e a inclusão de gastos para programas não relacionados com a pandemia.

O plano estende a ajuda federal a 12 milhões de desempregados até março e créditos para pequenas empresas, restaurantes, hotéis, companhias aéreas e outros negócios afetados pela pandemia.

Além disso, prorroga a suspensão dos despejos, as execuções de hipotecas e garante recursos para a distribuição de vacinas contra Covid-19.

Os EUA já registraram 331.140 mortes e 19.136.587 casos da doença, segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins (EUA) divulgado às 9h desta segunda-feira (28).

Porém, o país não lidera apenas os números negativos da pandemia no mundo, como também é o que mais vacinou a população.

De acordo com a agência Bloomberg (EUA), às 10h desta segunda-feira (28), 1.944.585 americanos já haviam recebido a primeira das duas doses das vacinas Pfizer/BioNTech ou da Moderna.

O fim da espera pela assinatura do presidente foi recebido com alívio pelos políticos.

“Eu aplaudo a decisão do presidente de fazer com que bilhões de dólares de alívio crucial para a covid-19 saiam pela porta e cheguem às mãos de famílias americanas”, disse o líder republicano do Senado, Mitch McConnell, no Twitter.

A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, chamou o projeto de “pagamento inicial do que é necessário para esmagar o vírus, colocar dinheiro nos bolsos dos americanos e honrar nossos heróis. Devemos adotar mais ações de maneira mais rápida”.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *