A aprovação (ótima/bom) do presidente Jair Bolsonaro se manteve em 37% e ele não é considerado culpado pelas mortes causadas pela Covid-19 por 52%... Datafolha: 52% não consideram Bolsonaro culpado pelas mortes por Covid-19

A aprovação (ótima/bom) do presidente Jair Bolsonaro se manteve em 37% e ele não é considerado culpado pelas mortes causadas pela Covid-19 por 52% dos entrevistados da pesquisa Datafolha, que foi divulgada pelo jornal Folha de São Paulo neste domingo (13).

O presidente foi reprovado (péssimo/ruim) por 32%, foi considerado regular por 29% e 3% não souberam avaliar ou não responderam.

Para 42% a atuação de Bolsonaro é ruim ou péssima, percentual que chegou a 50% na pesquisa feita nos dias 25 e 26 de maio, e de 43% no levantamento anterior, nos dias 11 e 12 de agosto.

A gestão do presidente foi considerada ótima/boa por 30%, mesmo índice de agosto ante 36% no dia 17 de abril e 27% nos dias 27 de abril, 25 e 26 de maio; e 23 e 24 de junho.

A atuação de Bolsonaro foi avaliada como regular por 27%, o mais alto percentual da pesquisa iniciada em março.

O percentual mais baixo (22%) foi registrado no levantamento dos dias 25 e 26 de maio.

Na pesquisa específica sobre a avaliação do presidente em relação às 181.419 mortes por Covid-19 (até às 8h desta segunda-feira, 14), 52% disseram que ele não tem culpa nenhuma.

Eram 47% na pesquisa anterior.

Para 38%, Bolsonaro é um dos culpados, mas não o principal (41% em agosto)

Apenas 8% disseram que ele é o principal culpado (11% em agosto) e 2% não souberam responder.

Para 53%, o país não fez o que era necessário para evitar esse número de mortes.

Mais conformados, 22% disseram que nada que o país fizesse evitaria as mais de 181 mil mortes por Covid-19.

Outros 22% afirmaram que o país fez o que era preciso diante da pandemia.

Já 4% não souberam responder.

Sobre o desempenho do ministério da Saúde no combate ao coronavírus, o percentual dos que consideram ótimo/bom caiu de 37% para 35%. Em abril, quando o ministro era Luiz Henrique Mandetta, eram 76%.

36% disseram que era regular (em agosto, eram 31%).

27% afirmaram que o desempenho era ruim/péssimo (em agosto, eram 31%), número que era de 5% na gestão Mandetta.

Questionados sobre a atuação dos governadores, 41% consideram ótimo/bom ante 44% da pesquisa anterior.

O percentual alcançou o pico em abril (58%).

Para 30%, o desempenho dos governadores foi ruim/péssimo.

Em agosto, era a opinião de 29%.

O percentual mais baixo havia sido o de 16% em março e abril.

28% consideraram regular.

Em agosto, tinham sido 26%.

42% consideraram ótimo/bom o desempenho dos prefeitos.

Em março, eram 50%.

Para 30%, a atuação dos prefeitos foi ruim/péssima, menos dos que os 34% registrados em junho e acima dos 22% de março.

26% disseram que foi regular, quase o mesmo de março (25%) e mais do que em junho (21%).

O Datafolha ouviu 2.016 brasileiros por telefone, entre os dias 8 e 10 de dezembro.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *