Diário do Coronavírus em São Paulo:  Compilado dos principais tuítes do governador João Doria Jr entre final de fevereiro e março de 2020.   Diário do Coronavírus em São Paulo: Fev/Março

Diário do Coronavírus em São Paulo:  Compilado dos principais tuítes do governador João Doria Jr entre final de fevereiro e março de 2020

 

Não são mortes(os) de mentirinha

 

 

Em diversos momentos o combate ao coronavírus também é o combate às fake news sobre o tema.  Grupos negacionistas tentam, de todas as maneiras, deslegitimar o trabalho do governador que, por sua vez, se a apoia na técnica e na ciência para desenvolver seu trabalho.

 

 

 

 

26 de fevereiro – Primeiro caso de coronavírus  no Brasil/SP

Confirmação do primeiro caso de coronavírus  no Brasil, um homem de 61 anos residente em São Paulo. O governador informa que o doente e as pessoas com a quais ele teve contato estão sendo monitoradas. Doria indica os seguintes estabelecimentos para tratar casos graves de infectados pelo vírus: Hospital das Clínicas e o Instituto de Infectologia Emílio Ribas (Capital/SP), o Emílio Ribas II, no Guarujá (litoral), os HCs de Ribeirão Preto (USP), Campinas (Unicamp) e o Hospital de Base de São José do Rio Preto (interior). Ademais, ele informa que o Governo está seguindo protocolos internacionais para o controle do coronavírus e divulga guia de prevenção.

 

 

27 de fevereiro – Início dos pronunciamentos oficiais

No final de fevereiro de 2020, logo depois do carnaval,  o governador de São Paulo, João Doria Jr, começa a fazer pronunciamentos oficiais obre o “novo coronavírus”.  O assunto ainda desperta poucas reações no ambiente digital. Ele retuíta post do Governo do Estado sobre coletiva a respeito do tema.

 

 

28 de fevereiro – O governador informa haver apenas 1 infectado pelo vírus em fevereiro

Sempre amparado por equipe técnica composta por alguns dos melhores especialistas em saúde, como Dr Davi Uip, que se tornara Coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, Doria destaca o baixo número de infectados em fevereiro de 2020 (apenas 1 infectado, com casos suspeitos reduzidos de 85 para 66), além de pedir para a população que evite propagar fake news sobre o assunto, e para que não entre em pânico. O governador ainda apresenta um plano de atendimento para possíveis pacientes no HC e diz que “o modelo poderá ser exportado para outros hospitais de todo o país. São reforçadas medidas simples para se evitar o contágio, como lavar as mãos com água e  sabão. Não obstante, ele informa sobre a existência de um plano de atendimento no Hospital das Clínicas para possíveis pacientes, além de informar que o Instituto Adolf Lutz, Universidade de São Paulo e a Universidade de Oxford concluíam neste dia o primeiro sequenciamento genético do coronavírus da América Latina.

É fake: Doria diz que fará ampla campanha para combater a desinformação e a disseminação de fake news sobre o coronavírus.

 

 

29 de fevereiro  – Central contra fake news associadas ao vírus

O governador relembra a criação de um guia informativo para o combate do coronavírus, além de divulgar o endereço da central contra as fake news associadas ao assunto: www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus

 

1o de março – Confirmado segundo caso de covid-19 no Estado de São Paulo

É confirmado o segundo caso de coronavírus no Estado de São Paulo, sob a consideração de que ambos os doentes teriam sido infectados fora do país. Até este momento, segundo o tuíte do governador, não havia motivo para pânico: “não há  indícios da circulação do vírus em território nacional”. Deste modo, não seria necessário mudar a rotina em escolas e empresas, segundo outro tuíte. No entanto, as medidas de prevenção do contágio seriam reforçadas, como uso de álcool gel, água e sabão. O uso de máscaras, todavia, ainda não era ressaltado na comunicação.

 

2 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

3 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

4 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

5 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

6 de março – Prevenção contra o vírus e as fakes news

Novamente, o governador informa a necessidade de prevenção contra o coronavírus por meio de medidas simples como lavar as mãos, além da necessidade de combater as fake news sobre o tema. Neste dia ele apresenta um vídeo com orientações e reforça a ideia de que não há necessidade para pânico.

 

7 de março – Prevenção e conscientização nas redes e nas escolas

A rede pública estadual de ensino recebe ações de conscientização e prevenção ao coronavírus promovidas pelo Governo do Estado. A notícia é destaque no jornal Hoje da Rede Globo.

 

8 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

9 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

10 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

11 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

12 de março – 1a Coletiva de imprensa para anunciar novas medidas para o combate ao coronavírus. Informa que não irá intervir nas manifestações bolsonaristas marcadas para o dia 15 de março

O Governo anuncia coletiva de imprensa para apresentar as novas medidas de combate ao coronavírus. A transmissão ocorre pelas redes oficiais do Governo do Estado e do governador. São usadas as hashtags #GestãoTransparente e #GovernoSP.  Entre as novas medidas, a garantia de estrutura e assistência nos hospitais estaduais, como 1mil novos leitos de UTI para o tratamento de pacientes. Neste dia Doria também fez o anúncio da compra de 20mil kits de diagnósticos, 15milhões de luvas e 48mil litros de higienizadores em gel. Mais uma vez ele declara não haver motivos para pânico e nem a adoção de “medidas drásticas, como suspensão de aulas ou grandes eventos”. Essa decisão incluía não intervir na manifestação pública de grupos da direita bolsonarista, programada para o dia 15 do mesmo mês. Essa última informação seguiu acompanhada da hashtag #EssaÉaVerdade.

 

13 de março – Encontro com o Ministro da Saúde Henrique Mandetta

Outra coletiva é marcada para informar as medidas econômicas contra o coronavírus e programa Inglês pra Todos. Doria retuíta post do Governo sobre a coletiva. Entre as medidas anunciadas estão 1). cancelamento ou adiamento de eventos com mais de 500 pessoas por tempo indeterminado; 2). manutenção de escolas abertas entre os dias 16 e 20 de março, com suspensão total de aulas a partir do dia 23 de março; 3). suspensão de férias de funcionários da rede estadual da saúde por 60 dias; 4). liberação de 94milhões do Ministério da Saúde para que o  Estado de São Paulo invista em ações do plano estadual de contingência. Neste dia a revista Veja publica matéria com a seguinte chamada: “Doria anuncia R$ 225milhões para frear efeitos do coronavírus na economia.”  Já a Folha de S. Paulo informa que Doria anuncia crédito subsidiado contra o coronavírus.  Outro acontecimento do dia foi uma segunda coletiva de imprensa para tratar medidas de contenção do vírus – a motivação desta segunda coletiva foi a reunião de Doria com o então Ministro da Saúde Henrique Mandetta, com transmissão pelas redes do governador.

 

 

14 de março

Não há informações relevantes sobre o coronavírus.

 

15 de março – Primeira cura de infectado por coronavírus

João Doria noticia a primeira cura de infectado por coronavírus em São Paulo. Complementa: “Estamos em um momento em que é preciso tranquilidade e conscientização de todos.” Depois de reunião noturna novas medidas são anunciadas, considerando a possibilidade de serem revistas nos próximos dias, bem como maior atenção com indivíduos com mais de 60 anos. Mais uma vez ele explica que não há motivo para pânico, e a importância de seguir as orientações  feitas pelo Governo de São Paulo e do Ministério da Saúde.

 

 

16 de março – Suspensão de todos os eventos sociais no Estado. Reunião sobre a suspensão das aulas nas redes púbica e particular

Novo anúncio é feito para evitar a disseminação do vírus. “Governo suspende eventos públicos estaduais independentemente no número de pessoas reunidas por 30 dias”, diz matéria do G1 retuitada pelo governador. Evitar o pânico continua sendo um aviso importante, bem como a conscientização. A nova hashtag usada é #SPContraOCoronavírus. Em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo Doria diz que passou a tomar medidas contra o vírus desde janeiro, “quando não havia nenhum caso registrado no Brasil.” Ele ainda dá a entender que lida com os desafios impostos por meio de  “planejamento, trabalho, dedicação e solidariedade baseada em informações técnicas e científicas.” Assim ocorre “O esforço de São Paulo contra  coronavírus”. Com alto volume de publicações neste dia, Doria destaca  a recomendação de home-office para servidores, e a importância do isolamento para salvar vidas. Usa a hashtag #UnidosContraCoronavírus. Outro assunto importante foi a videoconferência com o secretário da educação Rossieli Soares, o secretário da saúde José Henrique Germann, o presidente da Undime-SP Márcia Bernardes, o secretário da educação do município de São Paulo Bruno Caetano e o presidente do Conselho estadual da Educação Hubert Alqueres. Entre os temas deste encontro,  além da suspensão das aulas nas redes pública e particular, foi destaque a disponibilização de aplicativos para assegurar as aulas dos alunos da rede pública por meio do ensino à distância.

 

17 de março – Primeira morte por covid-19

Nesta dia é marcada coletiva para anunciar a primeira morte de paciente com a doença, entre outros assuntos.  O governador segue na exposição das medidas contra o vírus. Doria também informa sobre reunião com representantes do varejo e indústria dos setores de alimentos, medicamentos, higiene pessoal, produtos de limpeza e empresas de logística. Argumenta “Planejamento para garantir pleno abastecimento dos itens de primeira necessidade nos mercados e farmácias.” Não obstante, ele explica que a situação está sob controle e que, por isso, não há razão para estocagem de alimentos.  Diz em outro tuíte: “São Paulo está agindo de forma proativa e não medirá esforços na luta contra o coronavírus.” Noutro: “… desde antes do 1o caso diagnosticado no BR, nossa gestão vem anunciando ações de prevenção e combate ao vírus, com fundamentação técnica e científica. Não mediremos esforços para proteger vidas.”  De uma ação especial realizada com artistas, Doria apresenta um vídeo motivacional para que as pessoas (sobretudo idosos) fiquem em casa, e se previnam.  “União” é uma palavra bastante referenciada na comunicação de 17 de março.

 

18 de março – Anúncio do fechamento de shoppings em 23 de março

Entre as novas medidas de combate ao coronavírus o governador destaca a intensificação das restrições. Uma delas é o fechamento de shoppings a partir de 23 de março. A fim de proteger o litoral e interior, o Governo passa a informar, por meio de painéis nas rodovias, maneiras de se combater o vírus. A vacinação gratuita contra influenza também se torna notícia, e o governador dá a entender que a iniciativa privada colabora com essa ação. Não menos importante, Doria destaca a campanha de doação de sangue realizada por policiais militares, já que o estaque teria diminuído em função da conjuntura do corona.  Há agradecimentos pelo mutirão da PM.

 

19 de março – Doria critica a atitude “irresponsável” do filho do presidente por declaração sobre a China, minimizar a pandemia e por convocar manifestações

Numa sequencia de tuítes, o governador declara: 1). “Lamentável e irresponsável a declaração feita pelo filho do Presidente, deputado @BolsonaroSP, sobre a China”.; 2). “Além do absurdo de minimizar a pandemia e convocar manifestações, ignorando protocolos mundiais de saúde, colocando em risco milhares de vidas, agora ele envergonha os brasileiros com declaração preconceituosa sobre o mais importante parceiro comercial do Brasil.” 3). “Minha solidariedade ao povo chinês pela luta contra o coronavírus e pelas vidas perdidas.” Mais uma vez Doria comunica “novas medidas para combater o coronavírus”. Faz mais uma coletiva de imprensa, com transmissão em suas redes sociais. O momento, para ele, é o de união e de solidariedade para proteger os mais vulneráveis. Diz que conta com a colaboração de todos para superar a crise causada pela doença.  O governador passa a garantir isenção na conta de água para 506mil famílias por 90 dias, além de apresentar uma iniciativa para conter a expansão do coronavírus entre os motoristas de aplicativos. Visitas de adolescentes, crianças e idosos são proibidas nos presídios. Anunciado também o acordo com a Associação Paulista de Supermercados, de tornar o álcool gel produto a ser vendido a preço de fábrica, além da distribuição gratuita de 50mil frascos para as forças de segurança pública pela empresa  Coperalcool,

 

20 de março – Decreto de Estado de Calamidade Pública

Em 20 de março Doria decreta Estado de Calamidade Pública em São Paulo, o que pode contribuir com a desburocratização do processo de compra e contratações de serviços essenciais no combate ao coronavírus, segundo ele. O Governo passa a veicular a segunda fase da campanha de prevenção, com o alerta de que é necessário orientar a população para, em conjunto, combater as fake news. Informa que a reunião semanal com secretários e presidentes de empresas públicas continua mantida por meio de videoconferência, o que demonstra um esforço para manter o engajamento de diferentes players no combate à doença.  Outra medida informada foi a  intensificação da limpeza nos trens e estações do metro e CPTM, com a ressalva de que os cidadãos que não atuam em áreas essenciais deixem suas casas somente em caso de extrema necessidade. São utilizadas as hasgtags #TransportePúblico #Coronavírus #GovernoSP. Outra novidade é que a Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias confirma que as farmácias associadas passarão a vender álcool gel a preço de custo em todo o Estado a partir do dia 23, com compra limitada de duas unidades por cliente/vez. O governador parabeniza a iniciativa privada pela ação.

 

 

21 de março – Decreto de quarentena

O Governo decreta quarentena para todos os 645 municípios do Estado, de 24 de março a 7 de abril, e define quais os estabelecimentos podem funcionar durante o período. “Esta medida implica a determinação do fechamento de todo o comércio e serviços não essenciais à população em todas as cidades de São Paulo.  Somente os serviços essenciais das áreas de saúde pública, alimentação, abastecimento, segurança e limpeza deverão funcionar.”, escreveu. Neste dia o Palácio dos Bandeirantes passa a ser iluminado pela cor verde em homenagem aos profissionais da saúde e em solidariedade a todos os que estão sendo impactados pelas imposições da doença. “Solidariedade, humanidade e união”, diz. Muitos agradecimentos são feitos aos profissionais que atuam para combater o vírus, e a hashtag “SãoPauloSolidário” utilizada.

 

22 de março – Indústrias ficam fora da quarentena para garantir o abastecimento

Doria informa em coletiva que as indústrias não devem parar de funcionar, apesar da quarentena a ser iniciada no dia 24 –  segundo ele, o abastecimento de produtos e alimentos precisa ser mantido. Acontece a reunião entre os chefes de poderes públicos para discutir medidas de enfrentamento. Doria ainda visita o Hospital das Clínicas para conhecer os 200 novos leitos de UTI a serem entregues no dia 27, para pacientes de covid-19 (outros 700 leitos estariam sendo preparados). Doria informa em coletiva que as indústrias não devem parar de funcionar, apesar da quarentena a ser iniciada no dia 24 – segundo ele, o abastecimento de produtos e alimentos precisa ser mantido.

 

23 de março – Ações diversas. Dr Davi Uip, Coordenador do Centro de Contigência do Coronavírus, testa positivo para a doença

Neste dia aconteceu a segunda reunião do comitê executivo com dirigentes de corporações de setores mobilizados para apoiar o Governo com doações e parcerias. Foram anunciados a doação de 96milhões em recursos, equipamentos, insumos médicos, alimentos e serviço para hospitais estaduais e abastecimento da população em vulnerabilidade; a realização de 2 mil testes de covid por dia;  início da campanha nacional de vacinação contra a gripe para idosos a partir de 60 anos e profissionais da saúde (sendo que “a vacina não protege contra o coronavírus, mas é essencial para facilitar o diagnóstico, uma vez que os sintomas da covid-19 são semelhantes aos da gripe comum”, conforme escreveu); parceria com mais de 1mil farmácias para a gratuidade da vacinação em todo o Estado; esclarecimentos sobre o uso de máscaras de proteção com a Dra Heloísa Bonfat, diretora clínica do Hospital das Clínicas; videoconferência com os governadores do Consud (Consórcio Sul e Sudeste) para interação, diálogo e compartilhamento de desafios e ações contra a doença; suspensão no corte do fornecimento de gás aos consumidores residenciais, pequenos comércios, hospitais e unidades de saúde até 31 de maio; agradecimento a dedicação dos profissionais das forças de segurança no estado, com uso das hashtags #Heróis e #SPContraoCoronavírus; suspensão da pesagem de caminhões nos 90 dias seguintes a fim de tornar as viagens mais rápidas; apoio aos caminhoneiros. Outro assunto do dia foi o teste positivo para coronavírus do Dr Davi Uip, Coordenador do Centro de Contigência do Coronavírus, e o aviso de que ele permaneceria em isolamento.

 

24 de março – Apresentação do resultado negativo para teste de covid-19 do governador

Apresentação do resultado e contraprova do resultado do teste de covid-19 para João Doria Jr, que deu negativo, com agradecimentos pelas mensagens de carinho e apoio recebidos, além da torcida para a rápida recuperação do Dr David Uip, que testou positivo. Anúncio sobre “a criação de rede de triagem para pacientes com sintomas leves similares aos do coronavírus”. Lembrete sobre a entrega de 200 novos leitos de UTI no Instituto Central do Hospital das Clínicas de São Paulo e anúncio sobre o preparo de 700 novos leitos para a mesma unidade: “Governo de São Paulo abre prédio exclusivo no Hospital das  Clínicas para tratar pacientes com coronavírus.”  Entre as demais ações, a distribuição de mais de 1,2mil caixas d’água em Paraisópolis; solicitação à Aneel de isenção de pagamento das contas de luz para a população mais pobre e a proibição de cortes durante a pandemia; produção de 320mil máscaras de proteção pela população carcerária a partir de 25 de março; possibilidade de fazer registros de queixas sobre ameaça, estelionato, roubo ou furto, crimes contra o consumidor, entre outros, por meio da internet – as delegacias, no entanto, seguem funcionando normalmente, sendo que durante a quarentena as viaturas da polícia militar passam a veicular mensagens  de conscientização em todas as regiões do Estado, como parte da “força tarefa no enfrentamento à pandemia para proteger e salvar vidas”.

Fake news: Dória chama atenção para o compartilhamento de fake news sobre o vírus nas redes, e mostra algumas delas.

 

25 de março – Doria critica Bolsonaro por sua postura na reunião virtual com governadores do Sudeste. Reunião com governadores e presidente da Câmara Rodrigo Maia

Neste dia Doria faz duras críticas ao comportamento do Presidente da República em reunião com governadores do Sudeste. Em três tuítes: 1). “Decepcionante a postura do Presidente @jairbolsonaro na reunião que tivemos há pouco com Governadores do Sudeste para tratar sobre o combate ao coronavírus. Levamos as solicitações do Governo de São Paulo e nosso posicionamento sobre a forma como a crise deve ser enfrentada.” 2). “Recebi como resposta um ataque descontrolado do Presidente. Ao invés de discutir medidas para salvar vidas, preferiu falar sobre política e eleições. Lamentável e preocupante. Mais do que nunca precisamos de união, serenidade e equilíbrio para proteger vidas e preservar empregos.” 3). “Presidente, no nosso Estado temos 40 mortos por covid-19 dos 46 em todo o Brasil. São pessoas que tinham RG, CPF, e familiares que continuarão sentindo sua falta. Não são mortos de mentirinha, Presidente. E essa não é apenas uma “gripezinha”. Neste dia também houve uma reunião virtual com 26 dos 27 governadores e presidente da Câmara Rodrigo Maia sobre ações conjuntas para o enfrentamento da pandemia, com a prioridade de salvar vidas, ainda que a economia também esteja em destaque. Foram publicadas também informações sobre coletiva de imprensa para atualização das ações contra o vírus; a antecipação da vacinação contra a gripe para policiais; a produção de máscaras pelas detentas do Tremembé; e apresentação do programa “Merenda em Casa”, que previa a liberação de R$40,5milhões para atender 700mil alunos pobres da rede pública – tal política visava, também, o aquecimento local da economia, permitindo às famílias terem recursos para comprar alimentos em suas comunidades.

 

 

 

26 de março – Destaque para a hashtag #FiqueEmCasa

João Doria anuncia a isenção no pagamento da conta de água e suspensão dos cortes de luz e gás, além do repasse de R$218milhões para ações de combate ao coronavírus em 80 municípios com mais de 100mil habitantes (“essas cidades foram escolhidas por serem referência no atendimento hospitalar das suas regiões”, escreveu).  Neste dia, o governador também reuniu CEOs de bancos para debater ações na área econômica, a fim de “garantir que microempreendedores, pequenos e médios empresários tenham  acesso a crédito e capital de giro necessário para preservar empregos e retomar o crescimento da economia.”  Não obstante, chamou a atenção para o fato de que a gestão de seu Governo “atua com serenidade e responsabilidade para salvar vidas e garantir renda à população”, além de mencionar o fato de que a Itália teve de pagar um preço alto por não tomar medidas adequadas de isolamento social, e ainda criticar prefeitos que adotaram tais medidas. A hashtag utilizada foi #FiqueEmCasa. Por fim, foi notícia na Globo de que a polícia prendeu 32 pessoas responsáveis por produzir álcool gel falso (mistura álcool combustível com gel de cabelo) – o governador retuitou a matéria.

 

27 de março – Agradecimento aos brasileiros de São Paulo pelo cumprimento da quarentena

Na coletiva do dia 27 de março, o reforço para que as pessoas fiquem em casa vem da diretora do centro de vigilância epidemiológica, com a informação de que o isolamento pode achatar a curva de coronavírus no Estado. Doria agradece aos brasileiros de São Paulo que cumprem a quarentena e valoriza o posicionamento científico para a proteção da vida. Utilizando a hashtag #UnidosVenceremosEssaLuta, ele publica uma matéria em que paramédicos judeu e muçulmano rezam juntos em Israel. Além disso, ele trata do repasse para as prefeituras no valor de R$ 309milhões para o enfrentamento da pandemia.

 

28 de março – Apelo para que as pessoas não minimizem a pandemia: “Não são mortes de mentirinha. Essa não é uma gripezinha.” Doria também passa a valorizar os caminhoneiros de maneira cada vez mais intensa e frequente: “Meu respeito, admiração e apoio aos caminhoneiros.”

Previsto para funcionar no dia 1o de abril com 200 leitos para pacientes com covid, o Hospital de Campanha construído no estádio do Pacaembu é visitado por Doria e o prefeito de São Paulo, Bruno Covas. Neste dia, Doria também visita a fábrica de alimentos Bauducco, ressalta a importância de que as indústrias sigam as normas sanitárias de proteção e agradece os profissionais do setor. Ele também agradece os profissionais de saúde da rede pública e privada por estarem na linha de frente salvando vidas, e informa que a partir de um decreto o médico poderá emitir atestado de óbito no local e colher teste se houver suspeita para covid-19, e que os casos de morte serão contabilizados apenas se positivos – sendo o responsável por contabilizar os mortos por covid o Ministério da Saúde. É lançada campanha com profissionais que combatem o vírus. Em apelo, Doria pede para que as pessoas parem de minimizar a pandemia: “O mundo inteiro está sofrendo as consequências desse vírus e os países que não o levaram a  sério hoje pagam com vidas. Não são mortes de mentirinha. Essa não é uma gripezinha. Coronavírus mata. Fique em casa!”, escreveu em um tuíte.  Há ainda a publicação de uma  matéria da Folha de S. Paulo dizendo que o isolamento radical pode salvar milhares de vidas, além de um vídeo com os líderes mundiais falando sobre as medidas de prevenção. Por fim, cabe ressaltar algumas medidas divulgadas em 28 de abril, adotadas para apoiar os caminhoneiros: 1). espaços dos postos de pesagem e do DER liberados para descanso (até 30/06); 2). acesso de caminhões à capital liberado no domingo à tarde (até 30/06); 3). denúncias pelo tel 0800 055 5510 ou e-mail abastecimento@sp.gov.br para que os caminhoneiros possam denunciar o fechamento de serviços essenciais e bloqueios em rodovias que prejudiquem seu trabalho (atendimento 24h); 4). suspensão da pesagem nas rodovias estaduais pelo prazo de 90 dias. E conclui: “Meu respeito, admiração e apoio aos caminhoneiros.”

É fake: O governador publica post informando que é falsa a notícia de que há descarte de alimentos na Ceagesp. Parte da mensagem que ele deixa é a seguinte: “Não compartilhem fake news. Não é uma questão política ou ideológica. São vidas que estão em risco.”

É fake: Em post, Dória informa que 100% dos óbitos contabilizados por coronavírus passam por testes, ao contrário do que dizem as notícias falsas.

 

 

29 de março – Apresentação de gráfico que indica desaceleração no número de infectados em São Paulo

Anúncio dos investimentos a serem feitos nos municípios para o combate do covid: 218milhões/municípios com mais de 100 mil habitantes, R$50milhões/capital, R$40milhões/municípios com menos de 100mil habitantes.  Doria ainda apresenta gráfico indicando desaceleração no número de infectados m São Paulo, em contraposição com o crescimento do número no Brasil. Lembra que, de qualquer maneira, os números continuam crescendo, o que faz isolamento necessário. O governador compartilha artigo que escreve para o jornal O Estado de S. Paulo, em que o título é “Serenidade e equilíbrio para enfrentar a crise”.

 

30 de março – Campanha “Fique em casa”. Destaque para ação de deputados da Alesp que aprovaram Estado de Calamidade Pública e os congressistas que conseguiram destinar R$219milhões em emendas para o Estado: “Prova que este não é momento de debates sobre política ou ideologia. É hora de união e solidariedade para salvar vidas”,

O principal apelo de Doria neste dia é para que as pessoas fiquem em casa, explica que as medidas são extraordinárias, mas necessárias e que mais de 50 países estão adotando restrições à circulação de pessoas. Em nova campanha do Governo do Estado para a conscientização  das pessoas, é dito que “a melhor vacina é ficar em casa.”  O governador agradece a solidariedade de “empresas cidadãs” pela doação de R$180milhões em produtos e serviços e destaca a “iniciativa privada trabalhando ao lado do Governo de São Paulo para ajudar a população diante da crise causada pelo coronavírus.” As empresas São Martinho e a Natura/Avon foram destaques pelas parcerias que renderam 250mil litros de etanol para a produção de álcool 70% e álcool gel, bem como a doação de embalagens e o envio de produtos, respectivamente.  Outro tema solidário foi a oferta de 1,2milhões de refeições a mais/mês nos 60 dias seguintes por meio das 59 unidades do Bom Prato. Além disso, Doria parabeniza os deputados da Alesp que aprovaram o Estado de Calamidade Pública, como meio de desburocratizar processos e garantir “agilidade no enfrentamento à pandemia”; também parabeniza os 70 deputados federais e os 3 senadores que representam o Estado por conseguirem destinar R$219milhões em emendas para o combate ao coronavírus: “Prova que este não é momento de debates sobre política ou ideologia. É hora de união e solidariedade para salvar vidas”, diz.

 

 

31 de março – Doação, caminhoneiros e telemedicina

O governador inicia a distribuição de 2,4mil caixas d’água pela Sabesp aos moradores de Paraisópolis. Trata-se de mais uma iniciativa conjunta com empresas que fizeram as doações, no caso Tigre a Amanco Wavin.  É anunciado que o Governo fará investimento de R$ 10milhões em Santas Casas e hospitais municipais de pequeno porte, além da doação de kits de alimentação para caminhoneiros em parceria com as concessionárias que administram as vias: “É mais uma medida de respeito aos caminhoneiros que estão ajudando a manter o abastecimento da população.”  Neste dia Doria também apresenta projeto pioneiro de telemedicina desenvolvido pelo Incor, em que uma central com especialistas passa atender e auxiliar outros profissionais da saúde no tratamento de pacientes em estado grave com covid. Mais 100 hospitais públicos são habilitados a utilizar o sistema.

 

*Levantado feito por Juliana Fratini em 20 de maio de 2020

Juliana Fratini
Últimos posts por Juliana Fratini (exibir todos)

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *