(Assista) A deputada também afirma que a Polícia Federal recebeu materiais que devem ser investigados daqui em diante com quebras de sigilo Edição de... “Eduardo Bolsonaro pede suspensão da CPMI das Fake News porque está envolvido”, acusa relatora

(Assista) A deputada também afirma que a Polícia Federal recebeu materiais que devem ser investigados daqui em diante com quebras de sigilo

Edição de Rafael Bruza

Em entrevista exclusiva à TV Democracia, nesta terça-feira (21), a deputada federal Lidice da Mata (PSB-BA) declarou que o filho do presidente da República, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) impeça a prorrogação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Mista das Fake News, em funcionamento no Congresso Nacional, porque seu gabinete está envolvido no envio de notícias falsas a favor de Jair Bolsonaro.

“O gabinete dele (Eduardo Bolsonaro) está claramente envolvido, com comprovação”, diz a deputada, que é relatora da CPMI. “Por que ele pede a suspensão da CPMI? Porque ele sabe que vamos chegar lá. Tivemos a ação de solicitar, enquanto CPMI, a algumas plataformas, que não seja possível apagar mensagens e o que foi feito. Isso está encaminhado. E talvez por isso haja pressa em suspender os trabalhos da CPMI”.

Na ação que tenta impedir a continuidade da CPMI,  Eduardo Bolsonaro questiona a atuação da comissão e pede que duas sessões que já ocorreram (como a da deputada federal Joice Hasselmann) sejam declaradas inválidas.

Segundo o site do Senado Federal, a CPMI foi instalada em 4 de setembro do ano passado, com validade até o último dia 13. Em 2 de abril, no entanto, o requerimento de prorrogação foi lido e enviado à publicação. Com isso, segundo o sistema virtual, a comissão pode funcionar até 24 de outubro.

A deputada Lidice da Mata também afirma que a Polícia Federal recebeu materiais que precisam ser investigados daqui em diante.

“Nós precisamos avançar na investigação e quebrar sigilos. Se não é possível realizar isso através da CPMI, que os tribunais possam fazer, pois os indícios são muito claros”, diz a parlamentar. “A própria Polícia Federal já recebeu denúncias que podem ser seguidas como linha de investigação indo muito mais longe que nós, neste momento”, afirma.

A relatora da CPMI das Fake News ainda aponta entraves para o avanço de investigações dentro da Comissão Parlamentar de Inquérito.

“Nos estamos com as atividades suspensas. Ela (a investigação) vai esbarrar em passos que a CPMI não conseguiu decidir, aprovar ou rejeitar. Então precisamos que esta continuidade aconteça”, conclui a deputada.

A deputada federal Lidice da Mata (PSB-BA) e o também deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

A deputada federal Lidice da Mata (PSB-BA) e o também deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

Fabio Pannunzio

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.