As companhias aéreas começam a normalizar as operações no Brasil. O número de voos ainda está bem distante dos meses pré-pandemia, mas é um...

As companhias aéreas começam a normalizar as operações no Brasil. O número de voos ainda está bem distante dos meses pré-pandemia, mas é um indicador positivo num dos setores que sofreram mais impacto na crise mundial da Saúde.

O aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que chegou a virar um grande estacionamento de aviões. O numero de voos caiu para cerca de 10% durante a pandemia. Agora, em julho, Congonhas voltou a ter voos da Gol, que havia transferido todas as operações para o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.

Outras companhias aéreas anunciaram a retomada ou o aumento dos voos, como a Air France, a Swiss e a Qatar.

Mesmo assim, os turistas brasileiros ainda não são bem-vindos em muitas partes do mundo. Na Argentina, por exemplo, onde a reabertura das fronteiras aéreas, marcada para setembro, depende da evolução do coronavírus.

Nos Estados Unidos e na União Europeia, os brasileiros que não tiverem um visto especial como o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, são obrigados a cumprir duas semanas de quarentena ao desembarcar nos países.

Outro agravante é o câmbio. Com o dólar e o euro altos em relação ao real, os gastos de brasileiros no exterior tem sido os mais baixos em anos.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *