“O Brasil vive uma recessão democrática e o futuro está sendo contaminado pelo despotismo. A candidatura do ex-presidente Lula em 2018 teria feito bem... Fachin diz que candidatura Lula teria feito bem à democracia e diz que o país está em recessão democrática

“O Brasil vive uma recessão democrática e o futuro está sendo contaminado pelo despotismo. A candidatura do ex-presidente Lula em 2018 teria feito bem À democracia e fortalecido o império da lei”.

As declarações não são de um parlamentar da oposição ou de um governador. Elas foram dadas pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, em palestra online realizada durante o VII Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral, nesta segunda-feira (17).

Fachin afirmou que o país se “acostumou a viver no abismo e a democracia vive riscos. As eleições de 2022 podem ser comprometidas se não se proteger o consenso em torno das instituições democráticas”.

Sem citar o nome do presidente Jair Bolsonaro, o ministro alertou para a existência de “cavalo de Troia dentro da legalidade constitucional do Brasil. Esse cavalo de Troia apresenta laços com milícias e organizações envolvidas com atividades ilícitas. Conduta de quem elogia ou se recusa a condenar ato de violência política no passado”.

Ele observou uma “escalada do autoritarismo no Brasil após as eleições de 2018. O presente que vivenciamentos, além do efeito da pandemia, também está tomado de surtos arrogantes e ameaças de intervenção. O futuro está sendo contaminado por despotismo”.

Fachin disse que está preocupado com os elevados índices de “alienação eleitoral” nas pesquisas de opinião e com a fragilidade de apoio à democracia, que demonstram que, “inequivocadamente, que vivemos uma recessão democrática”.

O ministro lembrou que foi o único do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que votou a favor da concessão do registro de candidatura ao ex-presidente Lula, que foi barrada por 6 a 1 com base na Lei da Ficha Limpa.

Ele tinha sido condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá, no litoral paulista.

Lula, que vai participar do programa TERTÚLIA, da TV DEMOCRACIA, na quinta-feira (21), a partir das 9h, nega os crimes e se diz vítima de perseguição política.

“Fiquei vencido naquele julgamento, mas a lição ficou pra todos. Não há democracia sem ruído, sem liberdade e sem igualdade de participação. Não nos deixemos levar pelos ódios tradicionais”, afirmou Fachin, que também criticou a “disseminação de campanhas de ódio e a bárbara progressão de desconfiança no regime democrático”.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.