O governador Wilson Miranda Lima (PSC-AM) teve os bens bloqueados pela Justiça. Ele é um dos alvos da Operação Sangria deflagrada hoje (30), pela... Governador do Amazonas tem os bens bloqueados pela Justiça

O governador Wilson Miranda Lima (PSC-AM) teve os bens bloqueados pela Justiça. Ele é um dos alvos da Operação Sangria deflagrada hoje (30), pela Policia Federal (PF) no Amazonas. Sangria é uma referência a uma empresa de comércio de vinhos que vendeu respiradores superfaturados ao governo do estado.

A secretária estadual da Saúde, Simone Papaiz, foi uma das oito pessoas presas na Operação. Ela foi indicada pelo governo de São Paulo para assumir o cargo, em abril, auge da pandemia do coronavírus no Amazonas.

A Justiça decretou o bloqueio de bens de 12 pessoas físicas e de empresas, além do governador. Os bens bloqueados são estimados em cerca de R$ 3 milhões.

A Subprocuradoria-Geral da República acusa Wilson Miranda Lima era o líder da organização criminosa que desviou verbas públicas federais para o combate do coronavírus.

Houve fraudes na licitação de equipamentos. Os respiradores eram vendidos a preços bem acima do mercado por uma empresa de venda de vinhos, que servia de intermediária para uma outra do setor da saúde.

O governo do Amazonas pagou R$ 2,976 milhões, ágio de 133%. Há suspeita de que houve “lavagem” de dinheiro e remessa ilegal de recursos para contas no exterior.

Quatro empresários ligados às duas empresas, um servidor público e dois ex-funcionários da secretaria da Saúde foram presos.

O governo do Amazonas ainda não comentou a Operação da PF. O governador, que estava em missão oficial em Brasília, viajou para Manaus. Por decisão da Justiça, ele não foi preso.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.