O ministério da Economia estabeleceu um salário mínimo de R$ 1.088, sem aumento real, no ano que vem. Hoje, ele está em R$ 1.045.... Governo Bolsonaro prevê salário mínimo de R$ 1.088 e déficit de R$ 247,1 bilhões em 2021

(foto Orlando Brito)

O ministério da Economia estabeleceu um salário mínimo de R$ 1.088, sem aumento real, no ano que vem.

Hoje, ele está em R$ 1.045.

Para 2022, o valor subirá para R$ 1.123, e para 2023, R$ 1.163.

Além disso, o ministério elevou a previsão de rombo nas contas públicas de R$ 230 bilhões para R$ 247,1 bilhões em 2021.

As estimativas da pasta dirigida por Paulo Guedes estão no projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) enviada ao Congresso nesta terça-feira (15).

O ministério desistiu de uma meta fiscal flexível, como chegou a propor em abril.

O objetivo era usar como âncora apenas as estimativas definidas no teto de gastos.

A regra limita o crescimento das despesas públicas ao da variação do índice de inflação.

O valor passaria a ser descontado das receitas projetadas para o ano pelo ministério e livraria o governo da necessidade de cortar gastos em caso de perda de arrecadação.

No entanto, em outubro, o Tribunal de Contas da União (TCU) foi contra a definição de uma meta flexível por violar a Lei de Responsabilidade Fiscal e Guedes foi obrigado a recuar.

O Congresso deve votar a LDO nesta quarta-feira (16).

Se ela não for aprovada, o governo não terá autorização para realizar qualquer despesa, incluindo as obrigatórias como salários e aposentadorias.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.