(Assista) Celso de Mello ordenou que o vídeo seja entregue para averiguar acusações do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, contra Jair Bolsonaro Por Rafael... Governo tem até sexta para entregar vídeo de reunião entre Bolsonaro e Moro; AGU recorre ao STF

(Assista) Celso de Mello ordenou que o vídeo seja entregue para averiguar acusações do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, contra Jair Bolsonaro

Por Rafael Bruza

Nesta quarta-feira (06), a Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu à decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, que obriga o Governo Bolsonaro a entregar o registro de reuniões do presidente com ministros que teriam sido gravadas em vídeo. Os materiais foram citados por Sergio Moro em seu depoimento para a Polícia Federal. O prazo dado pelo ministro do Supremo termina na noite de sexta-feira (08).

A intenção de Celso de Mello é confirmar a afirmação do ex-ministro Sergio Moro de que Bolsonaro teria cobrado, nesse encontro, a substituição do diretor-geral da PF e do superintendente da corporação no Rio de Janeiro, além de relatórios de inteligência e informação da Polícia Federal.

Ele orenou que o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, o secretário especial de Comunicação, Fabio Wajngarten, e o assessor-chefe da Assessoria Especial do presidente da República, Célio Faria Júnior, sejam oficiados com urgência.

“As autoridades destinatárias de tais ofícios deverão preservar a integridade do conteúdo de referida gravação ambiental (com sinais de áudio e de vídeo), em ordem a impedir que os elementos nela contidos possam ser alterados, modificados ou, até mesmo, suprimidos, eis que mencionada gravação constitui material probatório destinado a instruir, a pedido do Senhor Procurador-Geral da República, procedimento de natureza criminal”, determinou o magistrado, em complementação à decisão proferida por ele mais cedo.

O ministro do STF já havia autorizado que a Polícia Federal interrogue dez pessoas no inquérito que investiga as acusações do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro ao presidente Bolsonaro. Entre os depoimentos a serem prestados, três são de ministros do governo: Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo; Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional; e Braga Netto, da Casa Civil. Moro acusa Bolsonaro de ter tentado interferir indevidamente nas atividades da PF.

 

Fabio Pannunzio

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *