Pelo atual ritmo de obras de saneamento básico, o Brasil só vai chegar à universalização do serviço de tratamento de esgoto em 2066, 33... IBGE aponta que o Brasil só vai atingir a universalização do serviço de esgoto em 2066

Pelo atual ritmo de obras de saneamento básico, o Brasil só vai chegar à universalização do serviço de tratamento de esgoto em 2066, 33 anos a mais do que o previsto no novo marco sancionado este mês, pelo presidente Jair Bolsonaro.

Pelos dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico: Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário (PNSB) 2017, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (22), pela primeira vez, o país passou a barreira de 50% de domicílios atendidos com tratamento de esgoto. São 35,3 milhões de residências (50,8%) contra 25,4 milhões (43,6), em 2008. 34,1 milhões de domicílios (49,2%) continuam sem o serviço.

A taxa de municípios com rede coletora de esgoto passou de 55,9% (3.069 cidades), em 2008, para 60,3% (3.359) em 2017. Destas, 153 estavam em implantação. Em 2.211 municípios (39,7%), não há esse serviço. No Sudeste, 96,5% dos municípios tinham rede coletora de esgoto, em 2017. No Norte, apenas 16,2%. No Pará, por exemplo, em apenas 3,1% dos municípios, mais da metade das residências tem esgoto tratado.

Das 27 unidades da federação, só em seis – Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo e Goiás – mais das metade dos domicílios são servidos por tratamento sanitário de esgoto.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.