A Covid-19 já matou 708.469 pessoas e infectou outras 18.847.261 em todo o mundo. Os números da Universidade Johns Hopkins (EUA) foram divulgados às... Incêndio mata 8 pacientes internados com Covid-19 em um hospital da Índia


A Covid-19 já matou 708.469 pessoas e infectou outras 18.847.261 em todo o mundo.

Os números da Universidade Johns Hopkins (EUA) foram divulgados às 12h desta quinta-feira (6).

Os Estados Unidos são o país com mais mortes (158.300) e mais casos (4.825.742) no planeta, seguido pelo Brasil.

Em número de mortes, depois de EUA e Brasil vêm o México (49.698), o Reino Unido (46.295) e Índia (40.699).

Em número de casos, a Índia está em terceiro, com 1.964.536, a Rússia, em quarto (870.187) e a África do Sul, em quinto (529.877).

Na Índia, oito pacientes – cinco homens e três mulheres – com coronavírus morreram em um incêndio na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular de Ahmedabad, no oeste do país. Outros 40 foram salvos.

A tragédia começou na manhã de hoje (6), quando o equipamento de proteção individual de um funcionário pegou fogo. Ele saiu correndo e as chamas se alastraram pela ala do hospital.

A polícia impediu parentes de invadirem o local.

O primeiro-ministro Narenda Modi, que é do estado de Gujarat, onde fica Ahmedabad, publicou nota de pesar numa rede social. Disse que “está entristecido pelo trágico incêndio no hospital”.

Outra tragédia, a da explosão no porto de Beirute, destruiu os principais armazéns de estoques de remédios essenciais, equipamentos médicos e material de proteção contra coronavírus.

Segundo o correspondente da TV Democracia na Suíça, Jamil Chade, três hospitais foram destruídos e dois estão seriamente abalados.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) enviou um avião doado pelo Emirados Árabes Unidos com 20 toneladas de suprimentos de saúde. A aeronave saiu hoje (6) de Dubai e já chegou em Beirute.

Segundo a OMS, o material vai cobrir mil intervenções e mil cirurgias para as vítimas da explosão. Muitos pacientes estão sendo transferidos para hospitais de outras cidades do país.

O Líbano atravessa uma grave crise politica e econômica, que só piorou com a pandemia. Os números de casos de Covid-19 aumentaram depois de um período de flexibilização.

O governo pretendia endurecer as regras de confinamento nas próximas semanas, mas foi obrigado a adiar o plano. Outro problema é a ajuda aos milhares de refugiados que vivem em condições precárias no Líbano.

Alemanha, Espanha, Austrália e Israel são outros países em que há uma segunda onda de casos de coronavírus.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.