A Organização Mundial da Saúde (0MS) informou nesta terça-feira (8) que 71 vacinas contra Covid-19 estavam na terceira e última fase de testes com... Lancet confirma eficácia da vacina Oxford e EUA podem aprovar vacina Pfizer esta semana

A Organização Mundial da Saúde (0MS) informou nesta terça-feira (8) que 71 vacinas contra Covid-19 estavam na terceira e última fase de testes com humanos.

Uma delas, a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca teve os estudos preliminares divulgados hoje (8) pela revista The Lancet, uma das mais respeitáveis do mundo.

Foi a primeira do mundo a ter pesquisas da fase 3 publicados em uma revista científica e para isso passou por revisão por cientistas independentes.

Os estudos confirmaram o que os fabricantes haviam anunciado em novembro: eficácia média de 70,4%, com até 90% no grupo que recebeu uma dose e meia.

Ou seja, ela protege da doença, no mínimo, 70% das pessoas que receberem a vacina.

A vacina Oxford é uma das quatro que estão sendo testadas no Brasil e a única com acordo com o governo federal.

Ela ainda precisa ser aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A AstraZeneca deverá entregar 30 milhões de doses até o final de fevereiro e outras 70 milhões até julho. No segundo semestre, serão produzidas mais 110 milhões de doses na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Outra vacina promissora é a da multinacional Pfizer em parceria com a empresa alemã BioNTech, que começou a ser utilizada hoje (8) pelo Reino Unido, na primeira campanha de imunização em massa do mundo.

Ela está perto de ser aprovada pela Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA).

Em análise preliminar divulgada nesta terça-feira (8), os técnicos da FDA confirmaram que a vacina Pfizer/BioNTech tem eficácia de 95% após a segunda dose.

Nesta quinta-feira (10), a agência se reúne para aprovar ou não o uso emergencial do imunizante nos EUA.

Neste caso, a vacinação pode começar no país ainda em dezembro.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *