Quase 11 mil candidatos de todo o país receberam indevidamente o Auxílio Emergencial. A informação é do Tribunal de Contas da União (TCU), que... Mais de 10 mil candidatos receberam indevidamente o Auxílio Emergencial

Quase 11 mil candidatos de todo o país receberam indevidamente o Auxílio Emergencial.

A informação é do Tribunal de Contas da União (TCU), que cruzou a lista de bens declarados pelos candidatos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o cadastro do Auxílio Emergencial.

São pessoas com patrimônio superior a R$ 300 mil, mas que conseguiram receber, no mínimo, R$ 300 do benefício destinado à população mais vulnerável neste período de pandemia de coronavírus.

O valor de R$ 300 mil é o limite definido por medida provisória assinada em setembro, que veta a concessão do Auxílio Emergencial para quem declarou patrimônio acima deste valor em 31 de dezembro do ano passado.

São Paulo e Minas Gerais são os estados recordistas nas irregularidades.

Em todo o país, foram encontrados 1.320 candidatos com patrimônio superior a R$ 1 milhão, e 2.525 com bens de até R$ 750 mil.

“Causa perplexidade imaginar que uma pessoa que tenha patrimônio dessa monta e, mesmo assim, se disponha a solicitar o recebimento de auxílio emergencial possa vir a ser eleito e gerir a coisa pública e a vida da comunidade”, diz o ministro Bruno Dantas, do TCU, que investiga as fraudes envolvendo o auxílio emergencial.

A lista dos candidatos que receberam indevidamente o auxílio foi encaminhada ao ministério da Cidadania, que já começou a cancelar o pagamento do benefício.

Segundo o TCU, há risco de erro de preenchimento da declaração entregue pelo candidato ao TSE e até mesmo de fraudes montadas com dados de terceiros.

“Só o Ministério da Cidadania pode confirmar se o pagamento é indevido e só o TSE pode confirmar eventuais crimes eleitorais. O papel do TCU é garantir o bom uso do dinheiro público”.

Em São Paulo, pelo menos 208 candidatos a vereador, prefeito e vice-prefeito, com patrimônio acima de R$ 1 milhão, receberam o Auxílio Emergencial.

Um deles é um candidato a vereador de Espírito Santo do Pinhal, que declarou um patrimônio de R$ 13,5 milhões, e que recebeu R$ 300 de auxílio. Entre os bens dele, estão três fazendas avaliadas em R$ 3 milhões cada.

Outros 1.980 com patrimônio superior a R$ 300 mil também ganharam o benefício.

A maioria deste grupo (1.895) é de candidatos a vereador, mas há 37 candidatos a prefeito e 48 a vice.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *