Uma idosa de 90 anos, moradora de uma casa de repouso em Lucerna, foi a primeira pessoa vacinada contra Covid-19 na Suíça, primeiro país... Mais de 2,6 milhões de pessoas já foram vacinadas contra Covid-19: vacinação começou hoje na Suíça

Uma idosa de 90 anos, moradora de uma casa de repouso em Lucerna, foi a primeira pessoa vacinada contra Covid-19 na Suíça, primeiro país do mundo a aprovar a vacina Pfizer/BioNTech para uso regular e não apenas emergencial.

A vacinação na Suíça é gratuita e não obrigatória, mas é recomendada pelo governo.

Na primeira etapa, serão aplicadas 100 mil doses do imunizante, suficientes para 50 mil pessoas.

A Suíça, que tem cerca de 8,5 milhões de habitantes, encomendou 15 milhões de doses de três vacinas.

Cada cantão, como é dividido territorialmente o país, decidir como será feita a campanha.

No maior deles, o de Zurique, a imunização começa no dia 4 de janeiro.

Desde o início da pandemia, a Suíça registrou 6.924 mortes e 418.266 casos de coronavírus.

Os dados da Universidade Johns Hopkins foram divulgados às 16h45 desta quarta-feira (23).

O Canadá aprovou hoje (23) a vacina da farmacêutica americana Moderna.

A empresa submeteu os dados às autoridades de saúde no dia 12 de outubro.

O equivalente canadense da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Brasil, a Health Canadá concluiu que a vacina é segura e eficaz e pode ser aplicada em maiores de 16 anos e de forma emergencial.

A agência informou ainda que a Moderna faz pesquisas adicionais em adolescentes a partir dos 12 anos.

O Canadá já havia aprovado o uso emergencial da vacina Pfizer/BioNTech no último dia 9 e começou a campanha nacional de vacinação no dia 14.

Na primeira fase, o imunizante foi aplicado em profissionais da saúde, grupos de risco e cuidadores de idosos.

A vacinação é gratuita.

Na Argentina, a vacinação está prevista para começar na semana que vem.

Nesta quarta-feira (23), o órgão regulador de alimentos e medicamentos (ANMAT) liberou o uso emergencial da Sputnik V, a vacina desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Moscou.

Um voo partiu ontem (22) para a Rússia para receber as primeiras 300 mil doses destinadas à primeira etapa de vacinação.

No total, a Argentina deverá receber 25 milhões de doses que serão aplicadas em 12,5 milhões de pessoas.

A ANMAT autorizou o uso emergencial da vacina Pfizer/BioNTech nesta terça-feira (22), mas assim como o Brasil, o governo ainda não fechou acordo com a multinacional americana.

A Argentina já assinou memorandos de fornecimento de vacinas com a multinacional anglo-sueca AstraZeneca, que desenvolve um imunizante com a Universidade de Oxford (Reino Unido) e com a Covax Facility, a aliança global coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A pandemia causou a morte de 42.254 pessoas e contaminou outras 1.555.279 na Argentina.

De acordo com a agência americana de notícias Bloomberg, às 16h40 desta quarta-feira (23), mais de 2,6 milhões de pessoas de todo o mundo já foram vacinadas contra Covid-19.

A maioria, 1.008.025, nos EUA.

A China vem em segundo lugar, com 650 mil, seguida pelo Reino Unido (500 mil), Rússia (440 mil), Israel (29.596) e Canadá (27.177).

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *