O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou, nesta quarta-feira (29), o pedido da Câmara para anular buscas realizadas no gabinete... Ministro Marco Aurélio rejeitou pedido da Câmara  para anular buscas no gabinete de Paulinho da Força

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou, nesta quarta-feira (29), o pedido da Câmara para anular buscas realizadas no gabinete do deputado federal, Paulo Pereira da Silva (Solidariedade-SP), o Paulinho da Força.

Elas tinham sido autorizada pela primeira instância da Justiça e foram feitas no dia 14 de julho. Paulinho é alvo da Operação Lava Jato Eleitoral, que o acusa de praticar caixa 2 e lavagem de dinheiro.

Mello entendeu que as buscas não têm relação com o mandato atual do deputado e, por isso, elas estão fora do alcance do foro privilegiado a que ele tem direito. Ele também afirmou que não é o local de busca que determina o foro, e sim o investigado.

A Câmara pedia a anulação das buscas e que todo o material recolhido fosse entregue ao STF.

Mello seguiu a sentença da ministra Rosa Weber, que validou o mandado de busca no gabinete da deputada federal Rejane Dias (PT-PI), realizada nesta semana. Rejane, que é mulher do governador Wellington Dias (PT-PI), é investigada por irregularidades cometidas quando era secretaria da Educação do Piauí.

O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, foi na contramão dos colegas de Corte. Ele atendeu a um pedido do Senado e impediu o cumprimento do mandado de busca e apreensão no gabinete do senador José Serra (PSDB-SP), no começo do mês.

O ex-governador de São Paulo é investigado na primeira instância da Justiça Eleitoral por prática de caixa 2 na eleição de 2014.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.