O vice-presidente, Hamilton Mourão, e diplomatas de 10 países, viajaram para a Amazônia nesta quarta-feira (4). É um esforço de publicidade do governo para... Mourão leva diplomatas de 10 países para viagem à Amazônia

O vice-presidente, Hamilton Mourão, e diplomatas de 10 países, viajaram para a Amazônia nesta quarta-feira (4).

É um esforço de publicidade do governo para mostrar que a destruição no bioma não é tão dramática quanto apregoam ambientalistas e o próprio Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe).

A viagem é uma resposta a uma carta de oito países europeus a Mourão, na qual afirmam que o aumento do desmatamento poderia dificultar a importação de produtos brasileiros.

Mourão, que é o presidente do Conselho da Amazônia Legal, falou antes do embarque:

“O grande objetivo da nossa viagem era mostrar que o governo brasileiro não tem o que esconder e que nós estamos abertos a todo e qualquer diálogo necessário para demonstrar à comunidade internacional os nossos compromissos. Nós vamos fazer uma viagem que vai abranger parte da Amazônia que está antropizada (área onde há ocupação humana) e parte que não está. De modo que, ao final desse percurso, esses diplomatas tenham condições de tirar as suas próprias conclusões”.

A rota incluí a Serra do Cachimbo, na divisa dos estados do Mato Grosso e Pará. De lá, o avião vai diminuir a altitude e seguir o traçado da BR-163 até a cidade paraense de Altamira.

Segundo os organizadores do voo, serão sobrevoadas áreas recém desmatadas, que costumam ser atingidas por incêndios, regiões que apresentam “cicatrizes” do foto e outras que estão preservadas.

Outras escalas são no Amazonas: na capital Manaus (AM), onde serão visitados quartéis e o laboratório de investigação da Polícia Federal; em Iranduba, onde a comitiva vai conhecer um projeto de colonização do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o encontro das águas dos rios Negro e Solimões que formam o Rio Amazonas; e em São Gabriel da Cachoeira.

Nesta cidade da fronteira com a Colômbia e a Venezuela, as visitas serão na Casa de Apoio à Saúde Indígena, no posto da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do ministério da Saúde e em instalações militares.

Diplomatas da Suécia, Portugal, França, Colômbia, Peru, Espanha, África do Sul, Alemanha, Canadá e Reino Unido participam da viagem.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.