O juiz Flávio Itabaiana Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, que decretou as prisões do casal Fabrício e Márcia Queiroz,... Mulher de Fabrício continua foragida e juiz pede registros de viagens de Flávio Bolsonaro

O juiz Flávio Itabaiana Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, que decretou as prisões do casal Fabrício e Márcia Queiroz, também determinou a uma agência de viagens, que entregue todas as informações sobre viagens realizadas pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e a mulher Fernanda, entre 1º de janeiro de 2007 e 17 de dezembro de 2018. O período corresponde aos mandatos que Flávio exerceu como deputado da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

De acordo com o UOL, em fevereiro, o Ministério Público do estado pediu à agência Decolar todos os dados das transações comerciais com o senador e a mulher, incluindo valores pagos, formas de pagamentos e destinos. O MP acredita que as informações são importantes para indicar o caminho da “rachadinha”, o esquema de desvio de dinheiro público na Alerj. Só o ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz movimentou mais de R$ 1,2 milhão, valores incompativeis com as rendas dele, da mulher e das duas filhas que também trabalhavam para o parlamentar.

Preso ontem, em Atibaia (SP), ele passou a noite numa cela do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona norte do Rio. A mulher dele, Márcia, que teve a prisão decretada pelo juiz Flávio Itabaiana por envolvimento na “rachadinha”, continua foragida.

A Decolar recorreu duas vezes à Justiça do Rio contra a entrega dos dados. A empresa alegou que violaria o direito à intimidade dos investigados, mas perdeu a causa e por isso, atendeu à decisão judicial. O MP-RJ afirmou que o inquérito está em andamento e as investigações seguem sob sigilo.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.