O mundo passou de 1 milhão e 400 mil mortes por Covid-19. De acordo com o levantamento da Universidade Johns Hopkins (EUA) divulgado às... Mundo passa de 1,4 milhão de mortes por Covid-19: UE vai começar vacinação em dezembro

Los Angeles (foto Deborah Neikirk)


O mundo passou de 1 milhão e 400 mil mortes por Covid-19.

De acordo com o levantamento da Universidade Johns Hopkins (EUA) divulgado às 10h desta quarta-feira (25), a pandemia matou 1.412.223 pessoas e infectou outras 59.905.468.

Os EUA devem ultrapassar a barreira de 260 mil mortes e 12 milhões e 600 mil casos de coronavírus ainda hoje.

O país chegou a 259.976 óbitos e 12.598.660 infectados pela Covid-19.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) informados às 10h desta quarta-feira (25), as Américas é a região do planeta com mais casos: 25.223.599.

A Europa vem em segundo lugar com 17.246.589 contaminados pelo coronavírus.

Hoje (25), em Bruxelas, na Bélgica, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, declarou que a vacinação nos 27 países membros da União Europeia (UE) poderá começar antes do final do ano e que já foram encomendados imunizantes de seis farmacêuticas.

Ela declarou ao Parlamento Europeu, que a possível aprovação de uma vacina traz “uma luz no fim do túnel” diante da crise sanitária e que os países membros devem se preparar a logística para a produção e distribuição de milhões de doses, “porque esse é o nosso bilhete de saída da pandemia”.

“Até o momento, a Comissão Europeia firmou contratos com seis companhias. Os primeiros cidadãos europeus poderão já estar vacinados antes do fim de dezembro. Finalmente há uma luz no fim do túnel. Vacinas são importantes, mas o que conta de verdade são as pessoas vacinadas. Os países membros devem se preparar já. Estamos falando de milhões de seringas, cadeias de distribuições, centros de vacinação, treinamento de profissionais, entre outras coisas”.

A França vai entrar em uma fase mais flexível do lockdown no próximo sábado (28).

O país é o quarto do mundo em número de casos (2.206.126) e passou das 50 mil mortes (50.324), mas conseguiu reduzir o avanço da doença.

No começo do mês, foram registrados 376.188 casos, número que caiu na última semana para 118.943.

Nesta terça-feira (24), o presidente Emmanuel Macron anunciou um alívio no confinamento quase total que a população enfrenta desde o final de outubro.

Entre as medidas que entram em vigor no sábado, estão a liberação das atividades extraescolares ao ar livre; caminhadas e atividades físicas por três horas diárias e dentro de um raio de 20 km da residência; reabertura do comércio com serviços de entrega até às 21h; e permissão para cerimônias religiosas com 30 pessoas no máximo.

O plano do governo estabelece que, a partir de 15 de dezembro, o lockdown seja suspenso, com apenas a restrição de toque de recolher das 21h às 7h, exceto nas noites de Natal e de Ano Novo.

No dia 20 de janeiro, restaurantes e academias poderão reabrir e as aulas presenciais serão retomadas no ensino médio.

No começo de fevereiro, haverá a liberação das aulas presenciais nas universidades.

Macron também anunciou que a vacinação não obrigatória contra Covid-19 no país deve começar no final de dezembro ou em janeiro.

O presidente francês advertiu que, poderá recuar se os números da pandemia voltarem a piorar na França e pediu colaboração da população: “Façamos tudo para evitar uma terceira onda e um terceiro confinamento”.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *