O mundo perdeu 946.685 vidas e alcançou 30.205.908 casos confirmados de Covid-19. Os números são do levantamento da Universidade Johns Hopkins divulgado às 9h... Mundo se aproxima de 950 mil mortes por Covid-19: em grave crise, Peru pode votar pelo impeachment do presidente

O mundo perdeu 946.685 vidas e alcançou 30.205.908 casos confirmados de Covid-19.

Os números são do levantamento da Universidade Johns Hopkins divulgado às 9h desta sexta-feira (18).

Os cinco países com mais óbitos são os EUA (197.655), Brasil (135.066), Índia (84.372), México (72.179) e o Reino Unido (41.794).

Em números de casos, a lista também é encabeçada pelos EUA (6.676.410) seguido pela Índia (5.214.677), Brasil (4.457.569), Rússia (1.086.955) e Peru (744.400).

O Peru, que também registrou 31.051, atravessa grave crise econômica e política.

Nesta sexta-feira (18), o Parlamento vai debater um pedido de impeachment do presidente Martín Vizcarra por “incapacidade moral” e por obstrução da Justiça.

Ele pediu para duas assessoras mentirem num inquérito parlamentar que apurava a relação de Vizcarra com um cantor investigado por contratos irregulares com o ministério da Cultura durante a pandemia. A conversa foi gravada e é uma das provas contra o presidente, que também já foi alvo de 39 denúncias, a maioria por corrupção.

A economia peruana foi uma das mais impactadas pela pandemia. A queda no 2º trimestre foi de 30,2%.

A relação entre o número de mortes por Covid-19 em relação ao número de habitantes é a maior do mundo.

Vizcarra está no cargo desde março de 2018, quando era vice do então presidente Pedro Pablo Kuczynski, que caiu depois de um processo de impeachment.

O atual presidente não pode ser candidato às próximas eleições, mas, apesar das denúncias, os analistas locais não acreditam que o Parlamento vote a favor do impeachment dele.

Nesta sexta-feira (18), a Comissão Europeia fechou mais um contrato para compra de vacinas contra a Covid-19.

Depois de um acordo com a AstraZeneca, o novo contrato prevê a compra de até 300 milhões de doses de outras duas farmacêuticas, a francesa Sanofi e a britânica GSK.

“Acordos com outras empresas serão concluídos em breve e construiremos um portfólio diversificado de vacinas promissoras, baseadas em diversos tipos de tecnologias, aumentando nossas chances de encontrar um imunizador eficaz contra o vírus”, afirmou a presidente da Comissão, Ursula von der Leyen.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.