O mundo ultrapassou a barreira de 15 milhões de pessoas infectadas pelo coronavírus. Segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins (EUA) divulgado às 15h... O mundo passou de 15 milhões de casos confirmados de coronavírus

O mundo ultrapassou a barreira de 15 milhões de pessoas infectadas pelo coronavírus. Segundo o levantamento da Universidade Johns Hopkins (EUA) divulgado às 15h desta quarta-feira (22), já foram notificados 15.008.046 casos e 617.902 mortes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que, há 166 vacinas contra a Covid-19 em desenvolvimento no planeta. A China, primeiro epicentro da doença, tem três vacinas em estágios mais adiantados.

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) disse que, a América Latina e o Caribe são regiões, onde a doença não dá sinais de desaceleração e que mais de 30% da população estão vulneráveis a contrair o coronavírus.

A situação é pior no Brasil, México, Peru, Bolívia e Chile. Nas duas próximas semanas, o México poderá ultrapassar o Reino Unido como terceiro país com mais mortes causadas pelo vírus. Nesta quarta-feira, o país registrou 400.400 mortes.

Nesta semana, foram recolhidos mais de 400 corpos de vítimas da Covid-19 em casas e ruas da Bolívia. Segundo o governo boliviano, a doença matou 2.273 pessoas e infectou 62.357 habitantes de um dos países mais pobres das Américas.

Na Argentina (foto), pelo segundo dia seguido, o número de mortes foi recorde em 24h. Foram mais 117 elevando para 2.490 óbitos. O número de casos subiu para 136.118.

O presidente Alberto Fernández poderá mudar o ministério nos próximos dias, por causa da recessão que já dura dois anos e da pandemia.

A flexibilização da quarentena na província de Buenos Aires acontece de forma escalonada. Nesta quarta-feira, lojas de roupas e calçados puderam voltar a funcionar e as igrejas, que só podem abrir para orações individuais. Por enquanto nada de missas.

Buenos Aires (foto Diana Suckeveris)

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.