Os números globais do coronavírus confirmam que a pandemia está longe de controle para a maioria dos países. De acordo com os dados divulgados... O mundo se aproxima das 600 mil morte e dos 14 milhões de casos de Covid-19

Os números globais do coronavírus confirmam que a pandemia está longe de controle para a maioria dos países. De acordo com os dados divulgados pela Universidade Johns Hopkins (EUA) na manhã desta sexta-feira (17), já são 590.650 mortes e 13.833.957 casos.

Os Estados Unidos estabeleceram um novo recorde de casos em 24h. Foram mais de 77 mil notificações. Em 30 dos 50 estados, foram registrados novos recordes de infectados. O avanço acontece principalmente nos estados que sairam mais cedo da quarentena. Hoje, o epicentro nacional é a Flórida.

A Índia passou a barreira do milhão de casos de coronavírus. Agora, são 1.003.832 pessoas com a doença. O país só fica atrás dos EUA e do Brasil neste quesito. Não está descartada a possibilidade de subnotificações, o que faria que os números de mortes e casos fossem maiores ainda.

A Índia é o segundo país mais populoso do mundo, com 1,3 bilhão de habitantes. O governo impôs uma rigorosa quarentena que durou 70 dias, mas os números cresceram a partir do mês passado.

Regras mais rígidas de quarentena voltaram a ser cumpridas esta semana, no estado de Bihar e na cidade de Bangalore, polo tecnológico do país.

O governo de Israel aprovou na madrugada desta sexta-feira (17), um plano para combater a pandemia. Foi mais brando do que o proposto pelo ministério da Saúde, que queria um confinamento total da população nos finais de semana.

Nesta semana, foram registradas 20 mortes e em apenas um dia, mais 1.939 casos. Desde o início da pandemia, Israel teve 380 mortes e mais de 45.600 casos de coronavírus.

Pelo novo plano de quarentena, encontros com mais de 10 pessoas em locais fechados e de 20 em locais abertos estão proibidos, com exceções para grupos de trabalho e famílias.

Shoppings, mercados, salões de beleza, barbeiros, bibliotecas, museus, piscinais, locais turísticos, academias e praias ficarão fechados nos fins de semana.

As exceções são os supermercados, as farmácias e as academias para treino de atletas profissionais.

Lojas e academias precisam fechar às 17h das sextas-feiras. Os restaurantes só podem operar em sistemas de retirada ou de entrega (delivery). Nos hotéis, os restaurantes funcionarão com a capacidade restrita a 35% da ocupação.

Os serviços públicos não vão abrir para atendimento presencial e vão funcionar com metade da capacidade.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu chegou a pedir desculpas públicas pelos erros cometidos pelo governo no combate à pandemia. Ele tem sido alvo de protestos não só pela gestão de saúde, mas também por ser acusado de corrupção.

A Coreia do Sul aprovou nesta sexta-feira, os primeiros testes clínicos de um remédio de anticorpos desenvolvido pelo laboratório sul-coreano Celltrion em humanos.

O tratamento ataca a superfície do vírus e foi concebido para impedi-lo de se unir a células humanas. Nesta primeira fase, o remédio será aplicado em 32 voluntários saudáveis, que serão acompanhados por um hospital local. Em testes com animais, a Celltrion disse que houve uma redução de até 100 vezes da carga viral.

Os testes serão ampliados para a Europa e o laboratório espera colocar o remédio à venda no início do ano que vem.

Na Austrália, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Sydney e do Instituto de Pesquisas do Coração desenvolveu um remédio experimental que pode evitar mortes de Covid-19.

Ele controla a formação de coágulos de sangue responsáveis por dificuldades respiratórias, falência múltipla de órgãos, derrame e infarto. Os primeiros testes foram bem-sucedidos em 72 pacientes saudáveis.

Segundo o líder dos pesquisadores, o professor Shaun Jackson, “cerca de 3 de cada quatro pacientes graves de Covid-19 em UTIs desenvolvem coágulos, e o índice de recuperação é criticamente baixo. Se o nosso medicamento consegue controlar os coágulos, a falência múltipla de órgãos e a morte de muitos milhares de casos poderiam ser evitadas. Queremos pacientes de Covid-19 procurando caixas de lenço, não ligados a respiradores”.

A segunda fase de testes do remédio, que é aplicado por via intravenosa, terá de ser feita no exterior porque não há um número suficiente de pacientes em estado crítico ligado a respiradores no país.

A pandemia voltou a avançar na Austrália. Nas últimas 24h, foi registrado o número recorde de 436 novos casos e o país passou dos 11 mil infectados. Agora, são 11.235. O número de mortes é de 116.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.