(Assista o comentário de Jamil) A entidade indicou que o governo tem tradicionalmente submetido dados detalhados à entidade e deseja que a situação seja... OMS pede transparência no Brasil e espera solução na “confusão” sobre dados – Jamil Chade

(Assista o comentário de Jamil) A entidade indicou que o governo tem tradicionalmente submetido dados detalhados à entidade e deseja que a situação seja mantida

Por Jamil Chade no UOL

A Organização Mundial da Saúde fez um apelo para que o governo brasileiro mantenha sua transparência em relação à publicação de casos da covid-19 e espera que a “confusão” nos números seja solucionada. Para a entidade, a população precisa de informação para poder se proteger.

Numa declaração nesta segunda-feira, a entidade indicou que o governo tem tradicionalmente submetido dados detalhados à entidade e deseja que a situação seja mantida. A OMS também pediu “liderança política forte” na região para superar a crise. Hoje, a América Latina é o centro da pandemia no mundo.

“O Brasil é um país grande, com uma população muito diversa, com uma população vulnerável, especialmente em zonas urbanas e indígenas”, afirmou Michael Ryan, diretor de operações da OMS. “Portanto, o Brasil merece nosso apoio total. Vamos continuar apoiando o Brasil e as pessoas do Brasil”, insistiu.

População precisa de dados Mas ele ponderou diante dos acontecimentos dos últimos dias. “Ao mesmo tempo, é muito importante, portanto, que as mensagens sobre transparência e compartilhamento de informação sejam consistentes e que possamos confiar em nossos parceiros no Brasil para fornecer informação para nós. Mas mais importante é (fornecer) às pessoas, aos cidadãos. Eles precisam entender o que está ocorrendo. Eles precisam entender onde o vírus está. Precisam administrar o risco”, disse Ryan.

“Esperamos e temos confiança de que qualquer confusão que exista no momento possa ser resolvida e que o governo do Brasil e os estados possam continuar a comunicar de uma forma consistente e de maneira transparente aos seus próprios cidadãos para que possam trazem a pandemia a um fim, assim que possível”, disse.

Segundo ele, o entendimento da OMS é de que o governo vai continuar a publicar os números diários de casos e mortes, de maneira desagregada.

Ryan aponta que a região da América Latina não atingiu o pico no surto. “Precisamos de liderança política na América Latina para controlar a doença”, afirmou. Para a OMS, a crise na região é a “mais complexa” registrada hoje.

Desde sexta-feira, os números acumulados de casos e mortes deixaram de ser divulgados pelo Ministério da Saúde. O site que agrupa as informações foi retirado do ar por várias horas no fim de semana, enquanto as coletivas de imprensa se tornaram mais raras, com menos informação e, em alguns casos, canceladas em cima da hora. Quando o site retornou, o histórico sobre a pandemia havia desaparecido e o número acumulado de casos e mortes foi apagado. No domingo, houve também uma mudança nos números diários, sem qualquer explicação.

(…)

 

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.