A Procuradoria-Geral da República (PGR) não vai levar adiante uma denúncia envolvendo o presidente Jair Bolsonaro e dois dos filhos, o senador Flávio (Republicanos-RJ)... PGR arquiva inquérito sobre fake news envolvendo Jair Bolsonaro e os filhos Flávio e Eduardo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) não vai levar adiante uma denúncia envolvendo o presidente Jair Bolsonaro e dois dos filhos, o senador Flávio (Republicanos-RJ) e o deputado federal Eduardo (PSL-SP) no inquérito sobre fake news.

Nesta segunda-feira (28), a PGR comunicou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o arquivamento de uma apuração preliminar sobre os três.

A notícia-crime foi apresentada em julho, pela deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC) ao STF, que através do ministro Alexandre de Moraes, como é de praxe nesta situação, determinou à PGR a abertura do inquérito.

O vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, defendeu o arquivamento no parecer enviado ao STF por falta de provas.

“A ausência de fatos concretos que possam ser efetivamente atribuídos aos noticiados [Bolsonaro, Flávio e Eduardo] inviabiliza, portanto, a instauração de procedimento próprio. Destaque-se que nem mesmo o Facebook adotou qualquer medida em face deles, como seria o caso, por exemplo, da retirada das respectivas contas oficiais. E isso se deu, naturalmente, por inexistirem quaisquer elementos que vinculem-nos minimamente às acusações formalizadas por meio desta notícia-crime”.

O Facebook e outra empresa do grupo americano, Instagram, retiraram do ar 73 contas, 14 páginas e 1 grupo, depois de identificarem perfis falsos e “comportamento inautêntico”, referência a um grupo de páginas e pessoas que atuam em conjunto para enganar outros usuários sobre quem são e o que estão fazendo.

As investigações chegaram até a assessores do presidente, dos filhos e de dois deputados estaduais, Anderson Moraes e Alana Passos, ambos do PSL-RJ, entre outros.

Eles divulgaram fake news contra o STF, à mídia e adversários políticos como o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Um deles, Tercio Tomaz é assessor especial de Jair Bolsonaro, com gabinete no Palácio do Planalto, salário de mais de R$ 13 mil por mês e apartamento funcional em Brasília.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.