A aprovação do governo Bolsonaro como ótimo/bom subiu para 40%. É a maior desde o início do mandato em 2019. Em dezembro, esse índice... Popularidade de Bolsonaro é a maior desde o início do mandato, diz pesquisa CNI/Ibope

A aprovação do governo Bolsonaro como ótimo/bom subiu para 40%.

É a maior desde o início do mandato em 2019.

Em dezembro, esse índice estava em 29%.

É o que revela pesquisa do Instituto Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que foi divulgada nesta quinta-feira (24).

Os índices de rejeição são altos: 29% dos entrevistados consideram o governo ruim ou péssimo (em dezembro de 2019, eram 38%), e outros 29% avaliaram como regular (31% na pesquisa anterior).

O crescimento da popularidade do presidente é maior entre brasileiros que estudaram até a 8ª série do ensino fundamental, com renda familiar de até um salário mínimo, entre moradores das periferias das capitais e das regiões Sul e Nordeste.

O gerente-executivo de economia da CNI, Renato da Fonseca, tem uma explicação para isso: “Aparentemente, o auxílio emergencial teve um papel importante na melhora da avaliação do governo Bolsonaro, como reflete o crescimento na aprovação das ações de combate à fome e à pobreza”.

O Nordeste segue como a região com menor percentual de apoio ao presidente.

O governo federal é avaliado como ótimo ou bom por 33% dos nordestinos.

40% dos entrevistados da região confiam no presidente e 45% aprovam a maneira dele governar.

Nas eleições de 2018, Bolsonaro perdeu para o petista Fernando Haddad apenas no Nordeste.

O índice de aprovação na gestão da segurança pública subiu de 45% para 51% e foi o único com avaliação positiva maior do que negativa.

Nas outras áreas, a percepção foi de desaprovação: impostos (67%), taxa de juros (64%), meio ambiente (57%) e saúde (55%).

A pesquisa foi feita entre os dias 17 e 20 de setembro.

Foram ouvidas 2 mil pessoas em 127 municípios.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.