O governo do Paraná anunciou nesta sexta-feira (4) que, nos próximos 10 dias vai enviar o pedido de registro da vacina russa Sputnik V... PR quer começar a testar vacina russa em outubro: estudo sobre a Sputnik V foi publicada hoje na Lancet

O governo do Paraná anunciou nesta sexta-feira (4) que, nos próximos 10 dias vai enviar o pedido de registro da vacina russa Sputnik V à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Se o pedido for aprovado, os testes com 10 mil voluntários brasileiros começarão em outubro.

A prestigiada revista científica The Lancet desta sexta-feira (4) publicou um estudo assinado por cientistas russos do Instituto Gamaleya de Moscou sobre os resultados preliminares da Sputnik V.

Eles constaram que ela não teve efeitos adversos e induziu resposta imune, mas que são necessários mais testes para comprovar a eficácia da vacina.

A primeira vacina contra o coronavírus no mundo foi aprovada pelo governo Putin, em agosto.

Como não passou por avaliação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da comunidade científica internacional, o medicamento foi visto com desconfiança.

O fato da pesquisa ter sido publicada na Lancet pode diminuir este descrédito.

Os cientistas russos disseram que, nas primeiras duas fases clínicas de testes com humanos, não houve efeitos adversos até 42 dias depois da aplicação da vacina, e que todos os 76 voluntários desenvolveram anticorpos para a Covid-19 num prazo de 21 dias.

Para eles, a resposta foi maior do que a vista em pacientes que foram infectados e se recuperaram naturalmente da doença.

O estudo revelou que a vacina produz uma resposta das células T, um tipo de defesa do corpo, dentro de 28 dias.

As células T são eficazes na destruição de células infectadas por vírus.

Segundo os pesquisadores, as reações de células T com a vacina apontam uma resposta imune forte e de longo prazo.

O presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Renato Kfouri, disse que ainda é cedo para comemorar o resultado.

“É um estudo aguardado, publicado em uma revista séria. Hoje a vacina pode ser categorizada como realmente uma candidata, mas isso ainda depende de estudo de fase três onde estão 7 outras vacinas”.

A fase 3 vai verificar a eficácia em larga escala. Agora, a Sputnik V será testada em 40 mil voluntários, a maioria na Rússia.

Normalmente, as etapas são conduzidas separadamente, mas, devido à urgência dos resultados devido à pandemia, várias vacinas têm pulado fases ou têm sido testadas simultaneamente em mais de uma fase.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.