Por Rafael Bruza Nesta quarta-feira (13), dia em que a abolição da escravidão no Brasil completa 132 anos, o presidente da Fundação Palmares, Sérgio...

Por Rafael Bruza

Nesta quarta-feira (13), dia em que a abolição da escravidão no Brasil completa 132 anos, o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, utilizou suas redes sociais para agradecer a princesa Isabel pela Lei Áurea e tentar desqualificar a figura de Zumbi dos Palmares, que dá nome à instituição criada justamente para promover e preservar valores históricos e culturais da influência negra no Brasil.

A abolição foi determinada em 13 de maio de 1888 em um contexto de luta de movimentos negros – na Revolta dos Malês, por exemplo. Ao agradecer a princesa Isabel pela Lei Áurea, Camargo ignora este contexto histórico e atribui o final da escravidão exclusivamente a uma princesa branca, que não sofreu com a mercantilização do ser humano, no período.

Camargo também destaca em sua foto de capa no Twitter o termo “Blexit”, que conservadores brancos dos Estados Unidos utilizam para criticar a luta de movimentos negros e atrair votos ao partido Republicano, de Donald Trump.

O presidente da Fundação Palmares ainda publicou artigos no site oficial da instituição que dizem mostrar “a verdade” sobre Zumbi dos Palmares, cuja morte motiva a celebração da Consciência Negra.

Zumbi é reconhecido como um dos líderes do Quilombo dos Palmares, o principal núcleo de resistência negra à escravidão no País. Os detalhes de sua vida, no entanto, são pouco conhecidos e objeto de divergência entre historiadores.

Entre os textos publicados nesta quarta-feira, 13, pela Fundação Palmares, está “Zumbi e a Consciência Negra – Existem de verdade?”, do professor Luiz Gustavo dos Santos Chrispino. No artigo, o autor fala sobre um processo que chama de “endeusamento de Zumbi”.

Citando termos utilizados pelo autor Olavo de Carvalho, Chrispino afirma que a corrente do Movimento Negro tinha influência do processo “Marxista Cultural” de separação social e precisava de “um ícone”, que viria a ser Zumbi dos Palmares.

“Começava aí a Luta Esquerdista usando o povo negro como massa de manobra”, diz o texto.

 

Fabio Pannunzio

O seu endereço de e-mail não será publicado.