O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, negou nesta quinta-feira(23), o pedido de concessão de prisão domiciliar para... Presidente do STJ nega pedido de prisão domiciliar a todos os presos do país que sejam de grupo de risco

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, negou nesta quinta-feira(23), o pedido de concessão de prisão domiciliar para todos os presos do país que pertençam ao grupo de risco para o coronavírus.

Noronha é o mesmo ministro que concedeu prisão domiciliar à Márcia Oliveira de Aguiar, que estava foragida, e ao companheiro dele, Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e filho do presidente Jair Bolsonaro.

No último dia 9, o casal foi beneficiado pela prisão domiciliar. O presidente do STJ aceitou o argumento da defesa de Queiroz, que ele corria risco de saúde por ser portador de câncer, convalescente de uma cirurgia de próstata e por causa da pandemia.

O ex-assessor do senador foi fotografado fazendo churrasco e bebendo cerveja na casa de Atibaia, no interior de SP, onde ficou escondido até o dia 18 de junho, quando foi preso.

Quando foi solto, saiu caminhando normalmente da penitenciária de Bangu, na zona norte do Rio, para ser levado ao edificio, no bairro de Taquara, na zona oeste da capital fluminense, onde mora.

No dia seguinte à libertação de Queiroz, advogados do Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos entraram com uma ação no STJ pedindo o mesmo direito a todos os presos do grupo de risco do país, exceto os que praticaram crimes violentos e que sejam considerados graves ameaças à sociedade.

Hoje (23), o ministro Noronha rejeitou o pedido alegando que ele é genérico e por não tratar da situação concreta de cada preso.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.