A maior parte da população mundial vai ter de esperar provavelmente até 2022 para receber vacina contra a Covid-19. É o que disse... Rússia aprova vacina contra Covid-19 testada em apenas 5 pessoas: OMS afirma que a maior parte do mundo não será vacinada antes de 2022

 

A maior parte da população mundial vai ter de esperar provavelmente até 2022 para receber vacina contra a Covid-19.

É o que disse a cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), a indiana Soumya Swaminathan, nesta quarta-feira, na Suíça.

Segundo o correspondente da TV DEMOCRACIA, em Genebra, Jamil Chade, a prioridade será a imunização de profissionais da saúde, idosos e pessoas em condições de vulnerabilidade. Somados, não representam sequer 20% da população mundial, hoje estimada em 7,7 bilhões de pessoas.

“Nunca ninguém produziu vacinas nessa quantidade”. Não é que, no dia 1 de janeiro de 2021, seremos todos vacinados e a vida vai voltar ao normal. Para uma pessoa comum, jovem e saudável, talvez será preciso esperar até 2022 para ter a vacina”, declarou Soumya.

Em Moscou, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou a EpiVacCorona, a segunda vacina contra Covid-19 do mundo.

 

A primeira, a Sputnik V, foi apresentada em agosto.

Ambas não passaram por todos os testes exigidos pelos protocolos internacionais e nem por aprovação da OMS.

A nova vacina foi desenvolvida pelo Instituto Vector, da Sibéria, e foi testada em apenas cinco voluntários.

O imunizante foi criado a partir de uma tecnologia voltada inicialmente para o vírus do Ebola.

O medicamento é composto por fragmentos de peptídeos (proteínas) do vírus que, segundo o instituto siberiano, são capazes de estimular o sistema imune a induzir uma resposta protetora.

A Rússia vem enfrentando uma segunda onda da pandemia da Covid-19.

O país é o quarto do mundo em número de casos (1.332.824) e já registrou 22.834 mortes.

Os números de casos (13.690) e de mortes (240) das últimas 24h foram recordes na Rússia.

O avanço da doença também preocupa a Alemanha.

Nesta quarta-feira (14), a chanceler Angela Merkel e 16 governadores regionais decretaram novas medidas de quarentena.

Berlim (foto Sérgio Botelho de Carvalho)

Bares e restaurantes só poderão funcionar até às 23h.

Festas particulares serão restritas para somente 10 pessoas e no máximo a duas famílias.

As medidas vão entrar em vigor nas regiões onde a taxa de contágio alcançar 50 casos para cada 100 mil habitantes durante sete dias consecutivos.

Desde o início da pandemia, a Alemanha teve 9.682 óbitos e 337.314 casos de coronavírus.

A região espanhola da Catalunha também vai adotar medidas mais severas de quarentena.

Entre elas, o fechamento de bares e restaurantes por duas semanas, a redução da capacidade dos centros comerciais para 30% e das academias, para 50%.

A Catalunha, onde fica Barcelona, está com a curva da pandemia em alta. Ela registra 290 casos para cada 100 mil habitantes, mas ainda longe da região metropolitana da capital espanhola, Madri, que estava com uma taxa de 489,15 por 100 mil habitantes.

Madri, que está sob regras mais rigorosas de confinamento, teve 9.837 mortes e 270.745 casos.

A Catalunha registrou 5.890 óbitos e 163.274 casos.

A Espanha é o sétimo país do mundo em número de infectados (908.056) e está entre os 10 primeiros em número de mortes (33.413).

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Notice: Trying to access array offset on value of type null in /home/wp_vihbaf/democracia.tv/wp-content/themes/goliath/theme/theme-functions.php on line 1103

Notice: Trying to access array offset on value of type null in /home/wp_vihbaf/democracia.tv/wp-content/themes/goliath/theme/theme-functions.php on line 1103