O Brasil se aproxima das 58 mil mortes por coronavírus. De acordo com o levantamento do consórcio de veículos de midia, são 57.774 vítimas... Coronavírus: Cuiabá perto do colapso e SP vai multar quem não usar máscara

O Brasil se aproxima das 58 mil mortes por coronavírus. De acordo com o levantamento do consórcio de veículos de midia, são 57.774 vítimas fatais e 1.352.708 casos confirmados da doença.

A pandemia não dá sinais de redução em várias partes do país. Em Cuiabá (MS), o sistema de saúde está à beira do colapso. Em Belo Horizonte, depois de um mês de flexibilização, a prefeitura voltou a restringir as regras da quarentena. Só podem ficar abertos os serviços essenciais. A decisão provocou protesto nesta segunda-feira (29), na capital mineira. Os manifestantes fecharam duas pistas da avenida Afonso Pena, no centro de Belo Horizonte, para pedir a reabertura do comércio de rua, dos shoppings, das academias, dos bares e restaurantes.

O estado de São Paulo segue como epicentro nacional da doença, com 271.731 casos e 14.338 mortes. Com atraso de semanas, só hoje o governo decretou a aplicação de multas para quem não usar máscara. A proteção já era obrigatória no estado.

O governador João Doria (PSDB-SP) anunciou que, a partir de quarta-feira, 1º de julho, o estado vai aplicar uma multa de R$ 500 para pessoas físicas flagradas sem máscara em espaços públicos. Para empresas, onde isto acontecer, a multa é maior ainda: R$ 5.000 por pessoa que estiver sem máscara dentro da firma.

As prefeituras serão encarregadas de fiscalizar as pessoas físicas. Fiscais da Vigilância Sanitária serão os responsáveis pelas autuações de estabelecimentos comerciais. Se houver resistência, eles poderão pedir apoio da Polícia Militar e das guardas municipais.

a prefeitura fechou hoje o hospital de campanha instalado no estádio do Pacaembu. Os dois últimos pacientes receberam. O hospital, que foi gerenciado pelo Hospital Israelita Albert Einstein, atendeu 1.221 pacientes, a maioria de baixa complexidade.

O hospital do Pacaembu custou R$ 23 milhões. Não há planos de fechar tão cedo o outro hospital municipal de campanha, o do Parque Anhembi. O prefeito Bruno Covas (PSDB-SP) não descartou a possibilidade de ampliá-lo. No final de semana, a forte chuva que caiu na capital paulistana destruiu parte da cobertura do Anhembi. O hospital ficou debaixo de goteiras. Nesta segunda-feira, a cobertura foi consertada.

Igrejas católicas e ortodoxas reabriram para fiéis desde que eles respeitem as regras de distanciamento social.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *