O sargento brasileiro Manoel Silva Rodrigues vai ter que cumprir a pena de seis anos de prisão integralmente na Espanha. A decisão foi anunciada... Sargento que levava cocaína em avião presidencial terá que cumprir toda a pena na Espanha

O sargento brasileiro Manoel Silva Rodrigues vai ter que cumprir a pena de seis anos de prisão integralmente na Espanha. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (17).

Pivô de um dos maiores escândalos do governo Bolsonaro, o militar está preso desde junho do ano passado, quando foi flagrado no aeroporto de Sevilla com 39 kg de cocaína.

O problema é que ele viajava em um dos aviões da comitiva presidencial que ia acompanhar o presidente Jair Bolsonaro num encontro do G20, no Japão.

Bolsonaro não estava no mesmo avião do sargento.

No embarque na Base Aérea de Brasília, a bagagem com a droga foi apenas pesada.

Mas, em Sevilla, o conteúdo foi facilmente identificado pelo raio-x.

A cocaína estava embalada em 37 pacotes de um pouco mais de 1kg e seria entregue pelo militar a uma pessoa fora do aeroporto.

Antes de ser flagrado pelos agentes espanhóis, ele disse que levava queijo para uma prima que mora no país.

A mentira caiu por terra quando foi aberta a mala. Em choque, o sargento não falou mais nada.

Diante da Justiça negou que soubesse que havia cocaína na bagagem.

A pena inicial de oito anos de prisão foi reduzida para seis anos.

Manoel também foi multado em 2 milhões de euros (cerca de R$ 12,4 milhões).

Ele teve o pedido de transferência para cumprir a pena no Brasil rejeitado pela justiça espanhola.

Pelas leis locais, condenados por crimes graves, com penas acima de cinco anos de prisão, devem cumprir toda a pena em território espanhol.

A defesa do sargento não se pronunciou sobre a decisão de hoje (17).

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.