O secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, foi preso na manhã desta terça-feira (25). Ele é um dos alvos da segunda fase...

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, foi preso na manhã desta terça-feira (25).

Ele é um dos alvos da segunda fase da Operação Falso Negativo deflagrada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), que apura supostas fraudes na compra de testes para detecção de Covid-19.

A Operação cumpre 44 mandados de busca e apreensão no DF e em oito estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Bahia, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Mato Grosso) e sete de prisão preventiva.

Além do secretário, foram presos o ex-secretário adjunto de Assistência à Saúde do DF, Ricardo Tavares Mendes. o subsecretário de Vigilância à Saúde do DF, Eduardo Hage Carmo, o subsecretário adjunto de Gestão em Saúde do DF, Eduardo Seara Machado Pojo do Rego; o diretor do Laboratório Central do DF, Jorge Antônio Chamon Júnior e o assessor especial da secretaria de Saúde do DF, Ramon Santana Lopes Azevedo.

A Operação foi autorizada pelo desembargador Humberto Ulhôa, do Tribunal de Justiça do DF.

De acordo com o MPDFT, o objetivo é desmantelar uma suposta quadrilha instalada dentro da secretaria de Saúde do DF, que fraudou a escolha de fornecedores e superfaturou a compra sem licitação dos testes.

A estimativa é de prejuízo de R$ 18 milhões aos cofres públicos, mas há outro dano gravíssimo: os testes são de baixa qualidade e podem dar resultado falso negativo, daí o nome da Operação.

A primeira fase foi no dia 2 de julho, quando foram cumpridos 74 mandados de busca e apreensão em mais de 20 cidades.

Na ocasião, em nota, a secretaria da Saúde afirmou que “todos os testes rápidos adquiridos pela SES têm registro na Anvisa e parâmetros de qualidade compatíveis com o seu uso em saúde publica e que o material foi comprado “pelo menor preço ofertado pelas empresas participantes no processo de compra, não havendo, portanto, nenhum dano ao erário”.

O governador Ibaneis Rocha (MDB-DF) não comentou as prisões e a Operação Falso Negativo por falta de informações.

O secretário Francisco Araújo ganhou notoriedade na semana passada ao mudar a metodologia de divulgação dos números da Covid-19 no DF. Ele disse que o modelo antigo, que é utilizado em todo o mundo, “não funciona”.

A decisão foi contestada pelos partidos PSOL, Rede Sustentabilidade e PCdoB que, no último final de semana, entraram com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o governo do DF retome a metodologia anterior.

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.