O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, e duas desembargadoras do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) são alguns dos alvos da... Secretário de Segurança e 2 desembargadoras são alvos da Operação Faroeste na BA e no DF

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, e duas desembargadoras do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) são alguns dos alvos da Operação Faroeste deflagrada pela Polícia Federal nesta segunda-feira (14).

Barbosa foi afastado do cargo por 180 dias e há mandados de prisão temporária das magistradas, que não tiveram os nomes divulgados.

A operação apura um suposto esquema criminoso de venda de sentenças judiciais com participação de juízes, desembargadores e servidores de outros poderes que operavam a blindagem institucional da fraude.

O esquema ainda utilizava “laranjas” e empresas de fachada para legalizar terras griladas no oeste da Bahia.

Segundo as investigações, mais de 360 mil hectares teriam sido legalizados e a movimentação financeira do esquema passa de R$ 1 bilhão.

Três mandados de prisões temporárias e os 35 mandados de busca e apreensão foram pedidos pela subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo e expedidos pelo ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Os mandados estão sendo cumpridos em Salvador e outras três cidades baianas (Barreiras, Catu e Uibaí) e em Brasília.

Além das duas desembargadoras, foi pedida a prisão de uma pessoa que atuava para um juiz e o afastamento do cargo e da função de todos os servidores públicos envolvidos nas 6ª e 7ª etapas da Operação Faroeste deflagradas hoje (14).

Entre eles, o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, servidores desta secretaria e funcionários do Ministério Público da Bahia (MP-BA).

Advogados também são suspeitos de participar do esquema criminoso.

De acordo com a PF, os envolvidos teriam praticado crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de ativos, evasão de divisas, organização criminosa e tráfico de influência.

A primeira fase da Operação Faroeste foi deflagrada no dia 19 de novembro do ano passado.

Na ocasião, foram presos 4 advogados, seis magistrados foram afastados e foram cumpridos 40 mandados de busca e apreensão.

Antes da operação de hoje, foi realizada a 5ª fase no dia 24 de março, quando a PF cumpriu 3 mandados de prisão temporária e 8 de busca e a apreensão.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *