Há exatos dois meses, o Brasil não tem um ministro efetivo da Saúde. O general Eduardo Pazzuelo ocupa o cargo interinamente, o que gerou... Sem ministro efetivo da Saúde há 2 meses, o Brasil se aproxima de 3 milhões de casos de coronavírus

Há exatos dois meses, o Brasil não tem um ministro efetivo da Saúde. O general Eduardo Pazzuelo ocupa o cargo interinamente, o que gerou uma crise política entre o governo Bolsonaro, os militares e o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro chamou de “genocídio” o que o governo está fazendo com a população em geral e com os indígenas durante a pandemia do coronavírus, e criticou a presença de militares em postos-chave no ministério da Saúde.

A resposta do governo veio com uma representação do ministério da Defesa na Procuradoria-Geral da República contra Gilmar Mendes.

O absurdo da situação é que ela acontece no momento em que o coronavírus não dá sinais de controle em grande parte do país e os números de vítimas não param de crescer.

De acordo com o levantamento do consórcio de veículos de mídia, que foi divulgado às 8h desta quarta-feira (15), nas últimas 24h, foram registradas mais 1.341 mortes elevando o número para 74.336.

No mesmo período, surgiram mais 43.245 novos casos. Agora são 1.933.655 pessoas que tiveram ou têm coronavírus. Entre elas, o presidente Jair Bolsonaro. Segundo o Palácio do Planalto, ele está “evoluindo bem” e vai participar por videoconferência da cerimônia de sanção do marco legal do saneamento básico. A solenidade será na tarde de hoje, no Palácio do Planalto, com a presença de ministros.

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.