O Brasil tem 12,9 milhões de desempregados. A informação foi dada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (4). São cerca... Taxa de desemprego sobe para 13,6% na 2ª semana de agosto: país tem 12,9 milhões de desempregados

O Brasil tem 12,9 milhões de desempregados.

A informação foi dada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (4).

São cerca de 300 mil pessoas a mais do que na primeira semana de agosto.

A taxa de desemprego subiu de 13,3% para 13,6%, o que o IBGE classifica como estável e entende que o crescimento da população desocupada está ligado à retomada das atividades econômicas.

O número de pessoas que gostariam de trabalhar, mas não buscaram emprego caiu de 28,1 milhões para 27,1 milhões.

O grupo de pessoas que gostaria de trabalhar, mas não procurou emprego por causa da pandemia ou falta de trabalho no local onde vive.

De acordo com a coordenadora da pesquisa, Maria Lúcia Vieira, “embora pouco significativo, tivemos um leve aumento da população ocupada e da desocupada, e uma discreta diminuição da população fora da força de trabalho. Isso sugere, como já tínhamos observado na semana anterior, uma leve retomada das atividades econômicas e da recuperação do emprego”.

O número de trabalhadores ocupados e não afastados do trabalho subiu cerca de 400 mil e foi estimado pelo IBGE em 75,1 milhões.

A taxa de informalidade ficou em 34,1% e aumentou aproximadamente em 100 mil a população de trabalhadores nesta situação. O número chegou a 29 milhões.

O IBGE considerado informais os trabalhadores no setor privado sem carteira assinada, os empregados domésticos também sem carteira, os trabalhadores e empregadores que trabalham por conta própria sem terem o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), além das pessoas que ajudam parentes.

Na segunda semana de agosto, cerca de 4,3 milhões de pessoas estavam afastadas do trabalho devido à pandemia. É 74% a menos do que o registrado na primeira semana de maio, quando foram contabilizados 16,2 milhões de trabalhadores afastados.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Covid-19 (Pnad Contínua Covid19) foi feita entre os dias 9 e 15 de agosto.

Ela é feita em parceira com o ministério da Saúde para identificar os impactos da pandemia do coronavírus no mercado de trabalho, mas utiliza metodologia diferente da Pnad Contínua, que é o índice oficial de desemprego.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.