O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) retoma o julgamento do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos-RJ) na tarde desta quinta-feira (24). Se ele... TRE-RJ deve tornar Crivella inelegível até 2026:  prefeito carioca vai recorrer ao STF e ao TSE

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) retoma o julgamento do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos-RJ) na tarde desta quinta-feira (24).

Se ele for condenado, pode ficar inelegível até 2026.

Crivella já está perdendo o julgamento por 6 a 0. Ou seja, não tem mais condições de reverter a decisão mesmo com o voto do desembargador Vitor Marcelo Rodrigues, que pediu vistas do processo na segunda-feira (21).

O PSOL e a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) moveram a ação aceita pelo Ministério Público Eleitoral com base em um evento realizado na quadra da escola de samba Estácio de Sá, em 2018.

Na ocasião, funcionários da empresa de limpeza pública, Comlurb, foram levados em veículos oficiais em horário de expediente para um comício, no qual o filho do prefeito, Marcelo Hodge Crivella, foi lançado pelo pai como pré-candidato a deputado.

Outro candidato, Alessandro Costa também pediu votos ao filho de Crivella.

Segundo um dos advogados da ação, Luiz Paulo, o evento foi bancado com dinheiro público.

O prefeito é acusado de abuso de poder político e conduta vedada. Além da inelegibilidade, o relator Cláudio Dell’Orto também pediu o pagamento da multa máxima prevista, de R$ 106 mil, e considerou culpados Marcelo Hodge e Alessandro Costa.

Crivella, que é candidato à reeleição nas eleições municipais de novembro, vai recorrer contra a cassação de direitos políticos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e no Supremo Tribunal Federal (STF).

Ele já escapou de cinco pedidos de impeachment na Câmara Municipal do Rio.

A mesma sorte não teve Wilson Witzel (Republicanos-RJ).

O governador do Rio de Janeiro, que já cumpre afastamento do cargo por 180 dias, perdeu feio na sessão desta quarta-feira (23) da Assembleia Legislativa do estado (Alerj).

Por 69 a 0, os deputados decidiram prosseguir o processo de impeachment de Witzel, que é acusado de corrupção na área da saúde.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.