O presidente dos EUA, Donald Trump, deve deixar o Centro Médico Militar Walter Reed, perto de Washington, nesta segunda-feira (5). Ele estava internado no... Trump deve receber alta hospitalar nesta 2ª-feira: mesmo contaminado por Covid-19, fez campanha eleitoral ontem

O presidente dos EUA, Donald Trump, deve deixar o Centro Médico Militar Walter Reed, perto de Washington, nesta segunda-feira (5).

Ele estava internado no hospital desde sexta-feira (2), quando testou positivo para Covid-19.

Segundo a Casa Branca, foi uma medida de precaução.

A primeira-dama, Melania Trump, também contraiu a doença, mas ficou isolada na residência oficial.

Com dois dias de atraso, só ontem (4), o chefe da equipe médica, Sean Conley, informou que o nível de oxigenação do presidente havia caído duas vezes e que ele recebeu oxigênio.

Conleu se defendeu: “Eu não quis dar nenhuma informação que poderia desviar o curso da doença em uma outra direção e, ao fazer isso, ficou parecendo que nós estávamos tentando esconder algo, o que não é necessariamente verdade”.

Neste domingo, Trump desrespeitou as regras de quarentena impostas a um infectado por Covid-19 e saiu do hospital para dar uma volta de carro.

Momentos antes, o presidente americano havia publicado um vídeo em redes sociais elogiando o atendimento médico e dizendo que havia aprendido sobre a doença do pior jeito possível.

Depois, dentro do carro, de máscara, ele acenou para os apoiadores que faziam vigília na porta do hospital.

O passeio durou meia hora e foi considerado uma ação de marketing eleitoral.

Trump é candidato à reeleição nas eleições do dia 3 de novembro.

A gestão de combate à pandemia é considerada desastrosa.

De acordo com o levantamento da Universidade Johns Hopkins (EUA) divulgado às 12h desta segunda-feira (5), os EUA lideram o ranking mundial de números de mortes (209.811) e de casos de coronavírus (7.420.206).

Segundo a edição de ontem (4) do Wall Street Journal, Trump deu ordens para assessores próximos que já tinham sido diagnosticados com a doença para que não revelassem que tinham testado positivo.

Por exemplo, a porta-voz da Casa Branca, Kayleigh McEnany, que está com coronavírus, mas sem sintomas. Ela mesmo deu a notícia nesta segunda-feira (5).

Ele também já sabia que estava com a Covid-19 na quinta-feira (1º), quando saiu o resultado do primeiro teste.

Pelas regras da Casa Branca, o presidente teria de fazer um exame do tipo PCR (o do bastonete de algodão) que é mais confiável.

No dia seguinte, ele deu entrevista por telefone à TV Fox News, mas citou o caso de uma das assessoras que tinha testado positivo e omitiu que já estava com a doença.

Trump só comunicou isto na madrugada de sexta (2) em uma rede social.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.