O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, decidiu enviar forças federais de segurança para as cidades de Chicago (Illinois), Kansas City (Missouri) e... Trump vai enviar agentes federais para 3 cidades governadas por democratas

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, decidiu enviar forças federais de segurança para as cidades de Chicago (Illinois), Kansas City (Missouri) e Albuquerque (Novo México), todas elas governadas por prefeitos da oposição democrata.

O objetivo é combater o aumento da violência em meio à pandemia do coronavírus e à crise econômica, que estão provocando o crescimento do desemprego. Outro fator é a libertação de milhares de presos por causa do coronavírus. Mas, a medida tem sido criticada pelos adversários públicos, que a chamam de “ilegal, ditadorial e eleitoreira”.

A segurança de estados e municípios é prerrogativa dos governos estaduais e das prefeituras. O envio de agentes federais é visto como um agrado ao eleitorado conservador pró-Trump.

Em Portland (Oregon), onde há mais de 50 dias são registrados protestos contra o racismo, as autoridades locais acusam as forças federais de abusarem da força e de aumentarem a tensão na cidade.

A onda de protestos antirracistas começou no dia 25 de maio, quando o negro George Floyd, que já estava rendido por um policial branco, que colocou o joelho no pescoço para sufocá-lo, morreu em Saint Paul, no estado de Minnesota. A abordagem foi gravada e gerou manifestações não só nos EUA como em todo o planeta.

Nesta quarta-feira (22), Trump lançou a Operação Legend, nome dado ao garoto LeGend Taliferro, de quatro anos, que morreu vítima de uma bala perdida, quando dormia com a família em casa, no mês passado, em Kansas City.

“Essa escalada da violência choca a consciência de nossa nação”, disse o presidente acompanhado da mãe de LeGend. Ele aproveitou a cerimônia para criticar a oposição democrata por fraquejar no combate ao crime, numa referência aos movimentos que pedem reforma e até a extinção de polícia em várias partes do país.

Trump, que disputa a reeleição em novembro, tenta se recuperar diante do adversário democrata Joe Biden, para quem está perdendo nas pesquisas.

O presidente republicano demorou para enfrentar a pandemia, indo na direção contrária ao que recomendavam as autoridades de saúde do próprio governo. Só neste mês, finalmente, resolveu usar máscara em público. A situação piorou tanto que, os EUA lideram o ranking dos países com mais casos e mortes por Covid-19.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado.