Cada dia que passa, o advogado Frederick Wassef muda a versão sobre a relação dele com o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Fabrício... Wassef diz que Queiroz era “jurado de morte por forças ocultas”

Cada dia que passa, o advogado Frederick Wassef muda a versão sobre a relação dele com o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Fabrício Queiroz. Em entrevista à revista Veja, 0 ex-advogado do parlamentar admitiu que escondeu Queiroz no escritório dele em Atibaia (SP), porque ele estaria “jurado de morte por forças ocultas”.

Wassef não revelou quais seriam estas forças e que se o crime acontecesse, o objetivo seria colocar a culpa no presidente Jair Bolsonaro.

O advogado também alterou, mais uma vez, a versão sobre o longo período de desaparecimento de Queiroz. Ele disse à Veja que sabia que o ex-assessor ficou na casa de Atibaia em várias temporadas, sem precisar data. Ressalvou que fez tudo sozinho e nunca contou nada para a família do presidente Jair Bolsonaro. Segundo a Globo, Wassef escondeu Queiroz por um ano e meio.

Queiroz está preso há oito dias, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, no Rio de Janeiro. A mulher dele, Márcia, continua foragida. Apesar das prisões terem sido pedidas pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ), Wassef acusou os governadores do Rio, Wilson Witzel (PSC-RJ) e João Doria (PSDB-SP), adversários políticos de Bolsonaro, de serem autores de uma conspiração para capturar Queiroz, na casa dele, em Atibaia.

De acordo com uma pesquisa do Instituto Datafolha, que foi divulgada pela Folha de São Paulo, na noite desta quinta-feira (25), a maioria dos entrevistados (64%) respondeu que o presidente sabia do paradeiro de Fabrício Queiroz. 21% por cento não sabiam e 15% não souberam responder.

A pesquisa foi realizada nos dias 23 e 24 de junho, por celular, com 2.016 adultos de todas as regiões e estados do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *